Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

'Extremamente descontente': China ataca cooperação militar entre EUA e Taiwan

© AFP 2021 / SAM YEHSoldados da Academia Militar de Taiwan durante desfile
Soldados da Academia Militar de Taiwan durante desfile - Sputnik Brasil
Nos siga no
Pequim está "extremamente descontente" com o plano dos Estados Unidos de desenvolver cooperação militar com Taiwan e alerta Washington que ação pode desestabilizar a região, disse o porta-voz da chancelaria chinesa, Geng Shuang, nesta quarta-feira (25).

Em maio, o Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA publicou um relatório sobre o orçamento de defesa do próximo ano, que incluía uma seção sobre o fortalecimento da cooperação militar com Taiwan, inclusive exercícios militares conjuntos e venda de armas, aumentando a presença militar dos EUA no Mar da China Oriental. O Senado aprovou o projeto em junho, mas o documento ainda deve passar pelo crivo da Câmara dos Deputados.

"A China está extremamente descontente e aponta um forte protesto contra as disposições acima mencionadas relativas ao PRC [República Popular da China, nome formal do país] no plano dos EUA para os gastos de defesa para o ano fiscal de 2019", disse Geng em uma entrevista coletiva..

Segundo o porta-voz, se o projeto for aprovado, isso prejudicará a confiança e a cooperação entre a China e Estados Unidos, ao mesmo tempo em que ameaça a estabilidade no Estreito de Taiwan.

"A China exorta os Estados Unidos a abandonar a mentalidade da Guerra Fria e o princípio de um 'jogo de soma zero' ao remover o conteúdo negativo em questão do documento para apoiar o desenvolvimento de relações bilaterais interestatais e não interferir nele", acrescentou Geng.

Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa (à direita) aperta as mãos de Xi Jinping, presidente da China, após coletiva de imprensa em Pretoria, na África do Sul durante a cúpula dos BRICS. - Sputnik Brasil
BRICS podem ajudar a superar tarifas dos EUA, diz ministro sul-africano
Taiwan, situada em um grupo de ilhas a sudoeste da China continental, deixou de fazer parte do estado chinês em 1949. Embora os contatos comerciais e não-oficiais entre os dois lados tenham sido retomados no final dos anos 80, a China recusa relações diplomáticas com qualquer país que reconheça Taiwan como um Estado.

Os Estados Unidos estão entre os países que não reconhecem Taiwan como um estado independente. O governo dos EUA declarou que encerraria todos os laços políticos com Taiwan após o comunicado conjunto de 1979, mas continuaria a manter relações econômicas e culturais através do Instituto Americano em Taiwan.

Em 2015, o então presidente Barack Obama aprovou um pacote de venda de armas para Taiwan no valor de US$ 1,83 bilhão, enquanto seu sucessor, Donald Trump, assinou o Taiwan Travel Act, permitindo que autoridades dos EUA viajassem para a ilha e visitassem as autoridades de Taiwan.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала