Alcançando as estrelas: imagens astronômicas mais incríveis de 2018

Nos siga noTelegram
É possível ou não alcançar as estrelas? Mesmo se estão tão afastadas por milhões de anos-luz da Terra, essas incríveis fotografias do Universo nos oferecem a sensação de estarmos bem pertos.

O concurso anual escolhe as imagens mais espetaculares e deslumbrantes do Universo, sejam elas galáxias longínquas localizadas a milhões de anos-luz da Terra, ou belas imagens da natureza onde aparece o céu noturno perto de sua casa.

O concurso 2018 Insight Astronomy Photographer of the Year premia os melhores trabalhos artísticos, enquanto a Sputnik lhe apresenta os mais marcantes.

© Foto / Marcel Drechsler/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Nebulosa da Águia por Marcel Drechsler. É um jovem aglomerado aberto de estrelas localizado na constelação da Serpente à distância de aproximadamente 7.000 anos-luz da Terra.
Nebulosa da Águia por Marcel Drechsler. É um jovem aglomerado aberto de estrelas localizado na constelação da Serpente à distância de aproximadamente 7.000 anos-luz da Terra - Sputnik Brasil
1/19
Nebulosa da Águia por Marcel Drechsler. É um jovem aglomerado aberto de estrelas localizado na constelação da Serpente à distância de aproximadamente 7.000 anos-luz da Terra.
© Foto / Peter Ward/Insight Investment Astronomy Photographer of the Year 2018Brilho da Terra por Peter Ward. O eclipse solar observado da Terra, onde a Lua encobre o Sol deixando apenas um círculo solar à vista.
Brilho da Terra por Peter Ward. O eclipse solar observado da Terra, onde a Lua encobre o Sol deixando apenas um círculo solar à vista - Sputnik Brasil
2/19
Brilho da Terra por Peter Ward. O eclipse solar observado da Terra, onde a Lua encobre o Sol deixando apenas um círculo solar à vista.
© Foto / Jingpeng Liu/Insight Investment Astronomy Photographer of the Year 2018Expedição para o Infinito por Jingpeng Liu. Nossa galáxia em todo o seu esplendor fotografada do Parque Nacional das Badlands, na Dakota do Sul, EUA.
Expedição para o Infinito por Jingpeng Liu. Nossa galáxia em todo o seu esplendor fotografada do Parque Nacional das Badlands, na Dakota do Sul, EUA - Sputnik Brasil
3/19
Expedição para o Infinito por Jingpeng Liu. Nossa galáxia em todo o seu esplendor fotografada do Parque Nacional das Badlands, na Dakota do Sul, EUA.
© Foto / Miguel Angel García Borrella and Lluis Romero Ventura/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Mosaico das nebulosas de Órion & Nebulosa do Homem Correndo por Miguel Angel García Borrella e Lluis Romero. A nebulosa de Órion, também descrita como NGC 1976, é uma nebulosa difusa que se encontra entre 1500 e 1800 anos-luz do Sistema Solar, situada a sul do Cinturão de Órion. É uma das nebulosas mais brilhantes, e pode ser observada a olho nu sobre o céu noturno.
Mosaico das nebulosas de Órion & Nebulosa do Homem Correndo por Miguel Angel García Borrella e Lluis Romero. A nebulosa de Órion, também descrita como NGC 1976, é uma nebulosa difusa que se encontra entre 1500 e 1800 anos-luz do Sistema Solar, situada a sul do Cinturão de Órion. É uma das nebulosas mais brilhantes, e pode ser observada a olho nu sobre o céu noturno - Sputnik Brasil
4/19
Mosaico das nebulosas de Órion & Nebulosa do Homem Correndo por Miguel Angel García Borrella e Lluis Romero. A nebulosa de Órion, também descrita como NGC 1976, é uma nebulosa difusa que se encontra entre 1500 e 1800 anos-luz do Sistema Solar, situada a sul do Cinturão de Órion. É uma das nebulosas mais brilhantes, e pode ser observada a olho nu sobre o céu noturno.
© Foto / Tianyuan Xiao/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Tempestade sob a Via Láctea por Tianyuan Xiao. Nossa galáxia gloriosa paira sobre uma tempestade que ilumina o céu da Flórida. O fotógrafo mostra o excelente contraste entre os objetos estáveis (Via Láctea) e móveis (tempestade) no céu.
Tempestade sob a Via Láctea por Tianyuan Xiao. Nossa galáxia gloriosa paira sobre uma tempestade que ilumina o céu da Flórida. O fotógrafo mostra o excelente contraste entre os objetos estáveis (Via Láctea) e móveis (tempestade) no céu - Sputnik Brasil
5/19
Tempestade sob a Via Láctea por Tianyuan Xiao. Nossa galáxia gloriosa paira sobre uma tempestade que ilumina o céu da Flórida. O fotógrafo mostra o excelente contraste entre os objetos estáveis (Via Láctea) e móveis (tempestade) no céu.
© Foto / Nicolas Lefaudeux/Insight Investment Astronomy Photographer of the Year 2018A Lua Colorida por Nicolas Lefaudeux. Uma imagem fenomenal que retrata as cores inéditas da superfície do satélite terrestre. A imagem assemelha-se a com um ornamento de árvore de Natal com extensa gama de cores e tonalidades.
A Lua Colorida por Nicolas Lefaudeux. Uma imagem fenomenal que retrata as cores inéditas da superfície do satélite terrestre. A imagem assemelha-se a com um ornamento de árvore de Natal com extensa gama de cores e tonalidades - Sputnik Brasil
6/19
A Lua Colorida por Nicolas Lefaudeux. Uma imagem fenomenal que retrata as cores inéditas da superfície do satélite terrestre. A imagem assemelha-se a com um ornamento de árvore de Natal com extensa gama de cores e tonalidades.
© Foto / Jingyi Zhang/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Mágica por Jingyi Zhang. Magnífica aurora boreal rompe nuvens iluminando os montes na península de Stokksnes, Islândia.
Mágica por Jingyi Zhang. Magnífica aurora boreal rompe nuvens iluminando os montes na península de Stokksnes, Islândia - Sputnik Brasil
7/19
Mágica por Jingyi Zhang. Magnífica aurora boreal rompe nuvens iluminando os montes na península de Stokksnes, Islândia.
© Foto / Kukasz Sujka/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018O AR 2665 e Proeminência Quiescente por Lukasz Sujka. A imagem mostra as erupções solares.
O AR 2665 e Proeminência Quiescente por Lukasz Sujka. A imagem mostra as erupções solares - Sputnik Brasil
8/19
O AR 2665 e Proeminência Quiescente por Lukasz Sujka. A imagem mostra as erupções solares.
© Foto / Michael Zaviyalov/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Aurora Boreal na costa do mar de Barents por Michael Zaviyalov. Após quatro dias de mau tempo e forte nevada, o céu finalmente se clareou e a aurora polar apareceu em toda a sua glória.
Aurora Boreal na costa do mar de Barents por Michael Zaviyalov. Após quatro dias de mau tempo e forte nevada, o céu finalmente se clareou e a aurora polar apareceu em toda a sua glória - Sputnik Brasil
9/19
Aurora Boreal na costa do mar de Barents por Michael Zaviyalov. Após quatro dias de mau tempo e forte nevada, o céu finalmente se clareou e a aurora polar apareceu em toda a sua glória.
© Foto / Peter Feltoti/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018A galáxia de Andrômeda por Peeter Feltoti. É uma galáxia espiral localizada a cerca de 2,54 milhões de anos-luz de distância da Terra, na direção da constelação de Andrômeda.
A galáxia de Andrômeda por Peeter Feltoti. É uma galáxia espiral localizada a cerca de 2,54 milhões de anos-luz de distância da Terra, na direção da constelação de Andrômeda - Sputnik Brasil
10/19
A galáxia de Andrômeda por Peeter Feltoti. É uma galáxia espiral localizada a cerca de 2,54 milhões de anos-luz de distância da Terra, na direção da constelação de Andrômeda.
© Foto / Brandon Yoshizawa/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Cave Man por Brandon Yoshizawa. A Via Láctea é vista na abertura de uma caverna marítima. A imagem mostra de perto os detalhes escuros das pedras e luzes distantes da nossa galáxia.
Cave Man por Brandon Yoshizawa. A Via Láctea é vista na abertura de uma caverna marítima. A imagem mostra de perto os detalhes escuros das pedras e luzes distantes da nossa galáxia - Sputnik Brasil
11/19
Cave Man por Brandon Yoshizawa. A Via Láctea é vista na abertura de uma caverna marítima. A imagem mostra de perto os detalhes escuros das pedras e luzes distantes da nossa galáxia.
© Foto / Qiqige Zhao/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Estrelas sobre o sagrado mongol Ovoo – pedra sagrada da Mongólia por Qiqige Zhao. A imagem, tirada em uma noite de verão em Mingantu, mostra rastros das estrelas cadentes sobre os altares sagrados.
Estrelas sobre o sagrado mongol Ovoo – pedra sagrada da Mongólia por Qiqige Zhao. A imagem, tirada em uma noite de verão em Mingantu, mostra rastros das estrelas cadentes sobre os altares sagrados - Sputnik Brasil
12/19
Estrelas sobre o sagrado mongol Ovoo – pedra sagrada da Mongólia por Qiqige Zhao. A imagem, tirada em uma noite de verão em Mingantu, mostra rastros das estrelas cadentes sobre os altares sagrados.
© Foto / Jake Mosher/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Rumo ao Norte por Jake Mosher. Zimbro inclinado nas Montanhas Rochosas (Montana, EUA), é preenchido com rastros de estrelas cadentes.
Rumo ao Norte por Jake Mosher. Zimbro inclinado nas Montanhas Rochosas (Montana, EUA), é preenchido com rastros de estrelas cadentes - Sputnik Brasil
13/19
Rumo ao Norte por Jake Mosher. Zimbro inclinado nas Montanhas Rochosas (Montana, EUA), é preenchido com rastros de estrelas cadentes.
© Foto / Paul Wilson/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Empírico por Paul Wilson. Águas de Southern Bays (Nova Zelândia) refletem as cores brilhantes rosa e amarela lançadas pela Aurora iluminada. A tonalidade escura de amplos campos verdes e o céu azul-escuro são sombreados por incríveis cores vivas da aurora.
Empírico por Paul Wilson. Águas de Southern Bays (Nova Zelândia) refletem as cores brilhantes rosa e amarela lançadas pela Aurora iluminada. A tonalidade escura de amplos campos verdes e o céu azul-escuro são sombreados por incríveis cores vivas da aurora - Sputnik Brasil
14/19
Empírico por Paul Wilson. Águas de Southern Bays (Nova Zelândia) refletem as cores brilhantes rosa e amarela lançadas pela Aurora iluminada. A tonalidade escura de amplos campos verdes e o céu azul-escuro são sombreados por incríveis cores vivas da aurora.
© Foto / Avani Soares/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Saturno magnífico por Avani Soares. A fotografia em alta resolução mostra o segundo maior planeta do Sistema Solar em vários ângulos.
Saturno magnífico por Avani Soares. A fotografia em alta resolução mostra o segundo maior planeta do Sistema Solar em vários ângulos - Sputnik Brasil
15/19
Saturno magnífico por Avani Soares. A fotografia em alta resolução mostra o segundo maior planeta do Sistema Solar em vários ângulos.
© Foto / Mark Gee/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Cable Bay por Mark Gee. A encantada Via Láctea estende-se pelo céu noturno e é refletida por Cable Bay (Nova Zelândia). Para criar essa imagem panorâmica, o fotógrafo precisou de 42 fotos separadas.
Cable Bay por Mark Gee. A encantada Via Láctea estende-se pelo céu noturno e é refletida por Cable Bay (Nova Zelândia). Para criar essa imagem panorâmica, o fotógrafo precisou de 42 fotos separadas - Sputnik Brasil
16/19
Cable Bay por Mark Gee. A encantada Via Láctea estende-se pelo céu noturno e é refletida por Cable Bay (Nova Zelândia). Para criar essa imagem panorâmica, o fotógrafo precisou de 42 fotos separadas.
© Foto / James Stone/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Guardião da Luz por James Stone. A Via Láctea se eleva acima de um farol isolado na Tasmânia. A imagem retratou a vida solitária e difícil de faroleiros, mas ao mesmo tempo incrível.
Guardião da Luz por James Stone. A Via Láctea se eleva acima de um farol isolado na Tasmânia. A imagem retratou a vida solitária e difícil de faroleiros, mas ao mesmo tempo incrível - Sputnik Brasil
17/19
Guardião da Luz por James Stone. A Via Láctea se eleva acima de um farol isolado na Tasmânia. A imagem retratou a vida solitária e difícil de faroleiros, mas ao mesmo tempo incrível.
© Foto / Arild Heitmann/Insight Investment Astronomy Photography of the Year 2018Castelo de gelo por Arild Heitmann. A imagem marcante em que a aurora polar lança luzes verdes sobre enormes estruturas de gelo, com temperaturas de 26 °C negativos, em Lapônia, Suécia.
Castelo de gelo por Arild Heitmann. A imagem marcante em que a aurora polar lança luzes verdes sobre enormes estruturas de gelo, com temperaturas de 26 °C negativos, em Lapônia, Suécia - Sputnik Brasil
18/19
Castelo de gelo por Arild Heitmann. A imagem marcante em que a aurora polar lança luzes verdes sobre enormes estruturas de gelo, com temperaturas de 26 °C negativos, em Lapônia, Suécia.
© Foto / Mark Hanson, Warren Keller, Steve Mazlin, Rex Parker, Tommy Tse, David Plesko, Pete Proulx/JiInsight Investment Astronomy Photography of the Year 2018NGC 6726 e NGC 6727 por Mark Hanson, Warren Keller, Steve Mazlin, Rex Parker, Tommy Tse, David Plesko, Pete Proulx (EUA). A foto retrata nebulosas na constelação de Corona Australis em cor azul – muito comum em estrelas quentes.
NGC 6726 e NGC 6727 por Mark Hanson, Warren Keller, Steve Mazlin, Rex Parker, Tommy Tse, David Plesko, Pete Proulx (EUA). A foto retrata nebulosas na constelação de Corona Australis em cor azul – muito comum em estrelas quentes - Sputnik Brasil
19/19
NGC 6726 e NGC 6727 por Mark Hanson, Warren Keller, Steve Mazlin, Rex Parker, Tommy Tse, David Plesko, Pete Proulx (EUA). A foto retrata nebulosas na constelação de Corona Australis em cor azul – muito comum em estrelas quentes.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала