Novo telescópio sul-africano capta FOTO nítida do coração da Via Láctea

Nos siga noTelegram
Esse telescópio pretende se tornar o mais poderoso do mundo e permitirá a exploração de questões complexas, tais como a energia escura e até mesmo a possível vida extraterrestre.

O enorme radiotelescópio de 64 canais inaugurado na última sexta-feira (13) em Karoo (África do Sul), capturou a imagem panorâmica mais detalhada já obtida do centro da Via Láctea, informa o site do projeto Square Kilometre Array (SKA).

© Foto / SKA África do SulImagem panorâmica mais detalhada do centro da Via Láctea, obtida pelo telescópio sul-africano MeerKAT
Imagem panorâmica mais detalhada do centro da Via Láctea, obtida pelo telescópio sul-africano MeerKAT - Sputnik Brasil
Imagem panorâmica mais detalhada do centro da Via Láctea, obtida pelo telescópio sul-africano MeerKAT

​O telescópio MeerKAT começou a funcionar depois de concluir uma fase de 10 anos de desenvolvimento e construção. No dia de sua inauguração, o sistema capturou uma fotografia extremamente detalhada da área que rodeia o buraco negro supermaciço — cuja massa é equivalente à de 4 milhões de sóis — no coração de nossa galáxia, que fica à distância de 25.000 anos-luz da Terra.

Vale destacar que as antenas do MeerKAT têm um diâmetro de 13,5 metros cada e estão localizadas a distâncias de até 8 quilômetros. Além disso, contam com sistemas de recepção criogênicos altamente eficazes que operam em diferentes bandas do espectro de rádio e processam até 275 gigabytes de dados por segundo em tempo real.

Pilares da Criação - Sputnik Brasil
Fábrica de estrelas: Nebulosa da Águia é fotografada pela NASA (FOTO)
Para 2020, o projeto SKA prevê a instalação de até 3.000 antenas parabólicas localizadas no continente africano e na Austrália, tornando-se o mais poderoso telescópio do mundo, detalha o jornal Daily Mail.

Assim, os astrônomos terão a oportunidade de observar o céu até 10.000 vezes mais rápido e com uma sensibilidade 50 vezes maior em comparação com qualquer outro telescópio, superando a capacidade do Hubble norte-americano. Isso permitirá avançar a pesquisa de tais questões complexas como a energia escura e até mesmo a possível vida extraterrestre.

O centro da galáxia foi escolhido para a primeira imagem do MeerKAT porque é um objecto "único, visualmente deslumbrante e cheio de fenômenos inexplicáveis, bem como "notoriamente difícil de retratar usando radiotelescópios", disse Fernando Camilo, o principal especialista do Observatório Sul-Africano de Radioastronomia (SARAO, na sigla em inglês).

No entanto, foi bastante difícil obter a imagem em questão, visto que o centro da Via Láctea está por trás da constelação de Sagitário e coberta em nuvens de poeira e gás que a fazem invisível para telescópios comuns. Nesse caso, as ondas de rádio do telescópio MeerKAT permitem superar este obstáculo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала