Chancelaria da Coreia do Norte se diz 'desapontada' com encontro com Mike Pompeo

© AP Photo / Casa BrancaDiretor da CIA, Mike Pompeo, cumprimenta o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-un, em Pyongyang
Diretor da CIA, Mike Pompeo, cumprimenta o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-un, em Pyongyang - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte expressou insatisfação com as negociações de alto nível com o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que haviam chegado ao fim neste sábado (7).

Na sexta-feira (6), Mike Pompeo chegou a Pyongyang para uma visita de dois dias, onde ele discutiu a desnuclearização à luz dos compromissos assumidos pelo líder norte-coreano Kim Jong-un durante sua cúpula com o presidente Donald Trump. 

O diplomata manteve conversas com Kim Yong-chol, vice-presidente do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte. Após a visita, Pompeo notou um progresso nas negociações, em particular, sobre a destruição de uma instalação de testes de motores de mísseis norte-coreanos.

Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, dividem a tela - Sputnik Brasil
Coreia do Norte diz que desnuclearização pode falhar após conversas com EUA
"O comportamento e a posição dos EUA, que foram demonstrados pelo lado norte-americano durante a primeira reunião de alto nível entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos em 6 e 7 de julho, causam imenso desapontamento", disse o ministério, conforme citado pela Agência Central de Notícias da Coréia (KCNA).

Segundo o ministério, os Estados Unidos se esquivaram de resolver “questões básicas” que são vitais para melhorar as relações, como a declaração sobre o fim oficial da Guerra da Coreia (1950-1953) e a repatriação dos restos mortais dos soldados norte-americanos, mortos durante o conflito.

"A confiança entre nossos países não só não se fortaleceu, mas as negociações nos colocaram em uma situação perigosa que poderia abalar nosso próprio compromisso de desnuclearização", acrescentou o ministério.

O ministério, no entanto, salientou que ainda tinha confiança nas promessas do presidente dos EUA, Donald Trump.

O ministério também observou que o vice-presidente do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coréia do Norte entregou a Pompeo uma carta de Kim a Trump.

Na histórica reunião do dia 12 de junho em Singapura, Trump e Kim chegaram a um acordo que exigia que Pyongyang se desnuclearizasse em troca do congelamento dos exercícios militares entre os EUA e a Coreia do Sul, além de uma eventual retirada das sanções.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала