'Acreditamos que haverá fraudes': eleição de Erdogan será ilegítima, diz parlamentar

© AP Photo / Emrah GurelPresidente turco, Recep Tayyip Erdogan, secando as lágrimas (foto de arquivo)
Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, secando as lágrimas (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A vitória do atual presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, nas eleições presidenciais marcadas para o domingo (24) será ilegítima e provavelmente provocará uma crise governamental, afirmou o vice-presidente do grupo parlamentar do Partido Democrático do Povo (HDP), Filiz Kerestecioglu, ao Sputnik neste sábado (23).

A Turquia realizará suas eleições presidenciais e gerais antecipadas em 24 de junho para garantir uma rápida transição para uma república presidencial. O país está em estado de emergência prolongado e está tomando medidas para reforçar os poderes presidenciais após uma tentativa fracassada de golpe em julho de 2016.

"Mesmo que Erdogan vença esta eleição [presidencial], nós acreditamos que haverá também certas fraudes nesta eleição. Portanto, sua presidência e essa mudança de sistema não serão legítimos aos olhos de pelo menos a maioria das pessoas", Kerestecioglu. disse.

O partido acredita que a eleição presidencial deve ir para o segundo turno, e apesar de Erdogan ganhar a presidência, ele não será capaz de obter a maioria dos assentos no Parlamento, ressaltou.

A maioria parlamentar da oposição será um passo positivo em direção à democracia na Turquia, disse o político.

O HDP vai contestar os resultados eleitorais, se não conseguir ultrapassar o limiar e conseguir lugares no parlamento, disse Kerestecioglu.

"Os resultados das eleições podem ser questionáveis, então podemos utilizar a todos os artíficios legais que pudermos. Vamos seguir todos os procedimentos legais que conseguirmos", disse ela.

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ao lado do presidente russo Vladimir Putin, durante a sessão de fotos dos líderes da Cúpula do G20 na China - Sputnik Brasil
Erdogan chama Putin de um dos políticos mais experientes da Assembléia Geral da ONU
O partido pretende continuar sua luta dentro da sociedade civil, destacou o funcionário.

Em 18 de abril, Erdogan anunciou as eleições presidenciais e parlamentares, explicando o movimento pela necessidade de mudar para o sistema presidencial no país e fazer cumprir as emendas constitucionais que foram adotadas após um referendo em abril do ano passado. As eleições foram inicialmente agendadas para 3 de novembro de 2019, mas foram adiantadas para agora.

Seis candidatos concorrerão à eleição presidencial turca: Erdogan, Muharrem Ince do Partido Republicano do Povo (CHP), Selahattin Demirtas do HDP, Meral Aksener do partido iYi (Bom), Temel Karamollaoglu do Partido Felicity e Dogu Perincek do o Partido Patriótico.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала