Melania Trump diz 'detestar' nova política de tolerância zero com migrantes ilegais

© REUTERS / Ma PingMelania Trump com alunos de uma escola primária em Tóquio
Melania Trump com alunos de uma escola primária em Tóquio - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Por meio da porta-voz, Stephanie Grisham, a primeira-dama Melania Trump disse "detestar" ver crianças separadas dos pais quando são pegas migrando ilegalmente para os Estados Unidos. Prática faz parte da "política de tolerância zero" imposta pelo Departamento de Justiça do governo Trump e já foi criticada reiteradas vezes pelas Nações Unidas.

"A senhora Trump detesta ver crianças separadas de suas famílias e espera que os dois lados do Congresso possam finalmente elaborar uma reforma migratória bem sucedida", disse Grisham em uma entrevista concedida à rede de televisão americana CNN. "Ela acredita que o país deve impor o respeito à lei, mas também é preciso governar com o coração".

A própria primeira-dama também foi uma migrante ilegal. Nascida na antiga República Soviética da Iuguslávia (na porção que compõe a atual Eslovênia), a ex-modelo, cujo nome original é Melanija Knavs, entrou nos EUA para trabalhar no país como modelo sem ter um visto de trabalho. Ela acabou por conquistar o direito de residência e posterior cidadania americana somente após se casar com Donald Trump em 2005.

Um pai e uma criança migrantes aguardam fora de um prédio para pedir asilo nos EUA em Tijuana, México. - Sputnik Brasil
Trump cita lei falsa para justificar separação de crianças dos pais na fronteira
Segundo o Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS), quase 2.000 crianças imigrantes foram separadas à força de seus pais entre 19 de abril e 31 de maio por terem entrado de forma ilegal nos EUA. A política resultou em protestos espontâneos em todo os EUA no fim de semana, levando até mesmo congressistas republicanos a tentarem elaborar uma lei que permitisse pais e filhos permanecerem juntos em caso de detenção.

Donald Trump, porém, rejeitou o movimento republicano durante uma entrevista à Fox News. "Eu certamente não assinaria [o projeto] mais moderado. Eu preciso de um projeto de lei que dê a este país uma tremenda segurança nas fronteiras". afirmou.

Diante da forte oposição enfrentada até mesmo na base de apoio, o governo Trump parece estar recuando. Falando à rede NBC, a conselheira do presidente, Kellyanne Conway, disse que a administração pretende alcançar um acordo bipartidário para resolver a questão.

"Não queremos ver bebês arrancados das mãos de seus pais", afirmou Conway durante a entrevista.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала