Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Kim 1x0 Trump: cúpula entre líderes ainda é alvo de discussão

© REUTERS / Jonathan ErnstDonald Trump e Kim Jong-un em Singapura, em 12 de junho de 2018
Donald Trump e Kim Jong-un em Singapura, em 12 de junho de 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga no
A recente cúpula entre o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deixou observadores, especialistas e governos coçando a cabeça e procurando por fatos por trás do flashs.

Um documento assinado por ambos os líderes e divulgado após a cúpula de 12 de junho em Cingapura foi notável, segundo os observadores, pelo que não disse e pela decepcionante falta de detalhes e concessões da Coreia do Norte. 

Embora ambos os lados tenham se comprometido a "construir um regime de paz duradouro e estável na península coreana", há pouco de concreto no texto. Não há prazos ou termos definidos. 

Líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente estadunidense, Donald Trump, passeiam pelo pátio do hotel Capella após o almoço de negócios, durante a cúpula histórica em Singapura, em 12 de junho de 2018 - Sputnik Brasil
Piada ou perigo? Trump quer ser adorado nos EUA como Kim é na Coreia do Norte
No passado, as condições de Pyongyang para abrir mão de suas armas nucleares incluíam não apenas a exigência de que Seul fizesse o mesmo, mas também a retirada completa de todos os ativos militares dos EUA da península coreana. Não há indícios de que essas condições tenham mudado.

Muitos sugeriram que a cúpula cumpriu muito pouco em termos de resultados reais.

"Se Hillary Clinton fosse presidente dos Estados Unidos e tivesse chegado ao acordo de ontem, Donald Trump a teria atacado justamente por uma desnuclearização 'falsa'", afirmou o especialista político coreano Yoichi Funabashi, ex-editor do jornal Asahi Shimbun, de acordo com a revista The Economist. 

"A palavra 'desnuclearização' [como usada no texto do documento oficial da cúpula] é tão elusiva que não significa nada", destacou Funabashi.

Kim em certo momento durante a cúpula observou a Trump que a pompa em torno do evento poderia servir como o enredo de "uma fantasia", de acardo com o jornal The Guardian.

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que cerca de 120.000 cidadãos norte-coreanos estão detidos em campos de trabalho forçados e um sem número de crianças têm alimentação deficitária. 

Apesar das várias sanções da ONU contra Pyongyang, a Casa Branca deixou no ar a possibilidade de Kim participar da Assembléia Geral da ONU em Nova York neste ano. 

Construção do gasoduto Force of Siberia - Sputnik Brasil
Gazprom retoma ideia de construir gasoduto cruzando a Coreia do Norte até Seul
Trump também não descartou a possibilidade de Kim Jong-un ser recebido na Casa Branca em breve.

Mas para aliados dos EUA, como o Japão, talvez o mais preocupante seja a retirada dos ativos militares de Washington da região asiática. 

O presidente estadunidense surpreendeu quando classificou os exercícios militares que costuma realizar com a Coreia do Sul na região como "provocativos", um termo que costuma ser usado pela própria Coreia do Norte e pela China. 

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала