Presidente da Câmara: EUA devem sustentar máxima pressão econômica sobre Pyongyang

© AP Photo / J. Scott ApplewhitePresidente da Câmara Paul Ryan, acompanhado pelo Líder da Maioria, Kevin McCarthy, fala a repórteres no Capitólio em Washington (foto de arquivo).
Presidente da Câmara Paul Ryan, acompanhado pelo Líder da Maioria, Kevin McCarthy, fala a repórteres no Capitólio em Washington (foto de arquivo). - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
"Os Estados Unidos não devem abdicar de nenhuma pressão econômica da Coreia do Norte, porque as intenções de Pyongyang só serão claras a longo prazo", disse o presidente da Câmara, Paul Ryan, em um comunicado de imprensa nesta terça-feira.

"Só o tempo dirá se a Coreia do Norte está falando sério desta vez e, enquanto isso, devemos continuar a aplicar pressão econômica máxima", afirmou o comunicado.

Coletiva do presidente estadunidense Donald Trump após as negociações bilaterais com o líder norte-coreano Kim Jong-un, em 12 de junho de 2018, em Singapura - Sputnik Brasil
Apesar do acordo, sanções estadunidenses contra Coreia do Norte continuam em vigor
Ryan acrescentou que o governo dos EUA não deve esquecer que está lidando com um regime brutal que enganou os Estados Unidos no passado. Ainda assim, o republicano destaca que a política americana sobre a Coreia do Norte, promovida por presidentes anteriores dos EUA, não funcionou.

O presidente da Câmara expressou a esperança de que a iniciativa de Trump em se encontrar com Kim coloque os dois países em um caminho de paz e estabilidade na região.

Trump e Kim se encontraram pela primeira vez em Cingapura na terça-feira de manhã, horário local. Os dois líderes realizaram uma Cúpula de quatro horas e assinaram uma declaração conjunta no final das negociações.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала