Rússia de volta ao G7? Sugestão de Trump pode 'dividir a Europa', diz ministro alemão

© REUTERS / Stephane De SakutinA primeira-ministra britânica, Theresa May, o presidente dos EUA, Donald Trump, e a chanceler alemã, Angela Merkel, durante a Cúpula do G7 em Taormina, Sicília, Itália, 26 de maio de 2017.
A primeira-ministra britânica, Theresa May, o presidente dos EUA, Donald Trump, e a chanceler alemã, Angela Merkel, durante a Cúpula do G7 em Taormina, Sicília, Itália, 26 de maio de 2017. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que a Rússia deveria se juntar ao Grupo dos Sete (G7) ameaça resultar em outro desentendimento entre os países europeus, disse Niels Annen, ministro do Exterior da Alemanha nesta segunda-feira (11).

Trump disse antes da cúpula do G7, que ocorreu no Canadá no fim de semana, que a Rússia deveria retornar ao grupo. O presidente dos EUA observou que recomendaria aos líderes do G7 que readmitissem a Rússia.

"Eu já disse que estamos abertos para o retorno da Rússia, mas isso requer medidas políticas. Não deveríamos permitir mais uma divisão na Europa, porque nem todos na Europa concordariam com essa decisão [de permitir que a Rússia se junte ao G7] ", disse Annen à emissora ZDF.

Bandeiras da Rússia e China durante a reunião de Vladimir Putin e Xi Jinping - Sputnik Brasil
Boicote ao dólar: China e Rússia concordam em aumentar comércio em moedas nacionais
Não houve consenso entre os líderes do G7 sobre a questão do retorno da Rússia ao grupo. Apenas o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, expressou abertamente seu apoio a isso.

O grupo se dividiu ainda mais quando Trump revogou seu endosso do comunicado conjunto entre a recente disputa entre os Estados Unidos e a Europa pela introdução de tarifas sobre as importações de aço e alumínio da União Européia e Canadá por parte de Washington.

O G7 inclui o Canadá, a França, a Alemanha, a Itália, o Japão, o Reino Unido e os Estados Unidos. O grupo costumava ser chamado de G8 antes de a adesão da Rússia ser suspensa em 2014, após a eclosão da crise ucraniana.

Respondendo ao apelo de Trump para o retorno da Rússia ao G8, o Kremlin disse que Moscou se concentrou em outros formatos de negociação.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала