Renasce 'maldição russa' para Marinha dos EUA, adverte revista norte-americana

© Sputnik / Alexey Kudenko / Abrir o banco de imagensAviões Tu-22M3 (foto de arquivo)
Aviões Tu-22M3 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A modernização do bombardeiro supersônico russo Tu-22M3 significa o regresso da "maldição" para a Marinha dos EUA, se lê no artigo publicado na revista norte-americana The National Interest.

De acordo com o autor da matéria, na época da Guerra Fria a Marinha norte-americana era protegida dos Tu-22M3 por caças a jato Grumman F-14 Tomcat, equipados com mísseis guiados AIM-54 Phoenix.

"Os aviões russos Tu-22M3 são uma pequena parte do poderio que antigamente a URSS possuía. Contudo, o Tu-22M3 de hoje, dotado de armas e sensores modernizados, representa a mesma ameaça, porém, em uma escala menor", se lê na matéria da revista.

Caça russo Su-34 - Sputnik Brasil
Su-34, caça-bombardeiro russo que apavora OTAN
De acordo com a edição, o problema para os EUA é ainda mais grave devido à retirada dos F-14 Tomcat do serviço operacional norte-americano na década de 90.

"Sendo assim, até mesmo uma capacidade de ataque modesta da Rússia pode representar uma ameaça real para um grupo naval levando em consideração as capacidades do Kh-32, especialmente considerando sua velocidade e manobrabilidade", destacou a edição.

O autor da matéria considera que o caça embarcado F/A-18E/F Super Hornet, junto com o sistema naval de combate Aegis, podem servir como protetores dignos da frota norte-americana. Contudo, devido à velocidade insuficiente do Super Hornet, este caça dificilmente seria capaz de interceptar um Tu-22M3 até o lançamento do Kh-32 ser realizado, segundo a matéria.

O míssil de cruzeiro hipersônico antinavio Kh-32 é o resultado de uma grande modernização do Kh-22 soviético. Ele difere de seu "antecessor" por seu novo sistema de pontaria, protegido de interferências eletrônicas, um volume de tanques aumentado, bem como um motor mais potente.

Antonov An-124 - Sputnik Brasil
Ucrânia reage aos planos da Rússia de retomar produção do legendário An-124
O Kh-32 é capaz de atingir alvos a uma distância de até mil quilômetros. Assim, o portador do míssil não precisa entrar na zona de ação da aviação embarcada do adversário.

Anteriormente, a fábrica aeronáutica de Kazan anunciou seus planos de lançar o bombardeiro supersônico Tu-22M3M, que é uma nova modificação do Tu-22M3, depois de uma profunda modernização do avião adotado em serviço em 1989. A aeronave foi projetada para atingir alvos terrestres e navais de uma altitude alta, média ou baixa. O Tu-22M3 participou da operação antiterrorista na Síria em 2015 e em 2017.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала