EUA solicitam que Rússia 'retire forças' da Abkházia e Ossétia do Sul

© Sputnik / Said Gutsiev / Abrir o banco de imagensTanque russo na Ossétia do Sul (foto de arquivo)
Tanque russo na Ossétia do Sul (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Washington vem condenando os planos do governo sírio de estabelecer relações diplomáticas com as duas regiões que decidiram se separar da Geórgia - Abkházia e Ossétia do Sul, solicitando que a Rússia retire suas forças destes territórios, afirmou o Departamento do Estado dos EUA.

"Estas regiões fazem parte da Geórgia. A posição dos EUA em relação à Abkházia e à Ossétia do Sul é inabalável", afirmou durante briefing a porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Heather Nauert. 

Além disso, Washington condenou a iniciativa do governo sírio de reconhecer a independência da Abkházia e da Ossétia do Sul e de estabelecer relações diplomáticas com estas regiões, frisando que os EUA apoiam a integridade da Geórgia.

Militares na base russa na Abkházia durante exercícios antiterroristas - Sputnik Brasil
Rússia aponta principais metas de suas bases na Abkházia e na Ossétia do Sul
Reagindo à decisão do governo de Bashar Assad, a Geórgia rompeu relações diplomáticas com a Síria.

A Abkházia e Ossétia do Sul declararam independência na década de 90. Em 2008, a Rússia reconheceu o novo estatuto das regiões. Agora, no território das duas regiões se encontram instalações militares russas.

Além da Rússia, a independência dos territórios foi reconhecida pelo Nicarágua, Venezuela, Nauru, Vanuatu e Tuvalu (que posteriormente retirou seu reconhecimento).

Por sua vez, Tbilisi considera que as regiões estão temporariamente ocupadas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала