Primeiras imagens do limiar do buraco negro na Via Láctea revelam algo inesperado

Nos siga noTelegram
Pela primeira vez, foram obtidas imagens de alta qualidade do buraco negro no centro da nossa galáxia, a Via Láctea. Os cientistas que realizaram o estudo afirmam que nas imagens se observam emissões radiológicas, cujas características contradizem as teorias atuais.

De acordo com Ru-Sen Lu, o autor principal do estudo publicado na revista The Astrophysical Journal, "foi possível capturar as imagens com uma resolução nunca antes vista graças à incorporação do telescópio APEX no interferômetro Event Horizons Telescope".

Buraco coronal no Sol - Sputnik Brasil
NASA descobre buraco coronal no Sol 'olhando' para a Terra (VÍDEO)
Desta forma, foi possível obter uma resolução que supera o tamanho do buraco negro em apenas três vezes. Isso permitiu ver a fonte de emissões de rádio perto dele, que resultou ser muito menor do que o esperado, comentou o pesquisador do Instituto de Radioastronomia de Bonn, na Alemanha.

Apesar da crença popular que os buracos negros consomem tudo, isso não é inteiramente verdade. Uma parte da matéria consumida pelos buracos negros é expulsa, criando os chamados "discos de acreção", que têm uma forma circular e rodeiam esses buracos negros.

Esses discos de acreção, por sua vez, são a fonte de emissões radiológicas e "jets" – ondas de plasma que se movem a velocidades próximas da luz. No entanto, as imagens mostraram que as ondas eletromagnéticas em redor do buraco negro têm uma estrutura assimétrica.

Esse fato contradiz a crença previa que todo o disco de acreção participou da formação de emissões radiológicas. De momento a resolução do interferômetro não permite determinar exatamente a forma da região ativa do disco, mas os cientistas assumem que tem forma de anel irregular no centro do qual se encontra o buraco negro.

Terra - Sputnik Brasil
Satélites da NASA detectam mudanças muito estranhas na água doce da Terra (VÍDEO)
"A análise de novas observações, que desde 2017 incluem as do [observatório de micro-ondas] ALMA, nos aproximarão mais um passo da ilustração do buraco negro no centro da nossa galáxia", disse Sheperd Doeleman, outro cientista que participou da investigação.

O Interferômetro Event Horizons Telescope é, em essência, a rede de observatórios radiológicos mais potentes do mundo que estão todos unidos. É mil vezes mais sensível que o famoso telescópio Hubble.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала