Presidente do Irã insta nações muçulmanas a cortar laços com Israel

© REUTERS / Faisal MahmoodPresidente do Irã Hassan Rouhani (Arquivo)
Presidente do Irã Hassan Rouhani (Arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente iraniano, Hassan Rouhani, pediu às nações muçulmanas que abandonem seus laços com Israel e cortem o comércio com os Estados Unidos durante um discurso televisionado na sexta-feira da cúpula da Organização de Cooperação Islâmica, realizada com a participação de 67 países em Istambul.

"Eu peço aos países que cortem totalmente suas relações com o regime sionista [de Israel] e também revisem seus laços comerciais e econômicos com os Estados Unidos", disse Rouhani em discurso transmitido ao vivo pela TV estatal iraniana, segundo a Reuters.

Míssil iraniano de longo alcance, foto de arquivo - Sputnik Brasil
Irã ameaça 'destruir por completo' maiores cidades de Israel
As declarações acontecem após a transferência dos EUA de sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém na segunda-feira. No mesmo dia, as Forças de Defesa de Israel mataram pelo menos 60 palestinos e feriram mais de 2.400 pessoas enquanto participavam da Grande Marcha de Retorno e se manifestaram contra a medida.

"A realização desta cúpula e a acolhida nas atuais condições críticas da região reflete a atenção dos países islâmicos à questão palestina", disse Rouhani na sexta-feira, segundo seu site oficial. "A maioria das ações do governo dos EUA, como a retirada unilateral do acordo nuclear com o Irã e a transferência de sua embaixada para o Al-Quds, não são legítimas e aceitáveis ​​para outros países do mundo".

"Hoje, estamos lamentando o último ato do genocídio de 70 anos contra os inocentes na Palestina. Os criminosos sionistas desafiaram a comunidade global diante dos olhos lacrimosos do mundo, atropelando a dignidade humana e depreciando todos os valores", disse Rouhani. "Enquanto centenas de milhares de pessoas inocentes são privadas dos direitos humanos mais básicos, o regime sionista está falsamente introduzindo seu próprio sistema apartheid e etnocêntrico como democracia, chamando seu secularismo de extremismo religioso; o que é mais lamentável é que alguns países ocidentais estão justificando a invasões dos ocupantes ".

O presidente iraniano adotou um tom esperançoso, dizendo que esperava que a reunião de nações islâmicas "levasse à adoção de soluções práticas para acabar com essa crise perigosa e para ajudar imediatamente o povo palestino oprimido, especialmente os moradores oprimidos de Gaza".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала