Norte-americanos 'são ocupadores da terra palestina assim como os israelenses'

© AP Photo / Karim KadimManifestantes iraquianos queimando as bandeiras dos EUA e de Israel como gesto de apoio à Palestina
Manifestantes iraquianos queimando as bandeiras dos EUA e de Israel como gesto de apoio à Palestina - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em meio aos confrontos violentos na Faixa de Gaza, a Sputnik pediu para que vários representantes palestinos comentem a situação.

O representante do Conselho Revolucionário do movimento palestino Fatah, Feisal Abu Shahlaa, afirmou à Sputnik Árabe que "os norte-americanos, após a transferência da embaixada a Jerusalém, estão sendo considerados ocupadores da terra palestina, assim como os israelenses".

"As ações agressivas dos ocupantes, que causaram morte de civis, obrigam os palestinos a se recusar a buscar regulamento pacífico e a recorrer ao confronto e resistência. Para expressar seu protesto, os países árabes e islâmicos devem fechar suas embaixadas em Israel", acrescentou.

U.S. Ambassador to the United Nations NIkki Haley speaks to the American Israel Public Affairs Committee (AIPAC) policy conference in Washington, U.S., March 27, 2017 - Sputnik Brasil
'Não há ligação entre mudança da embaixada dos EUA e mortes de palestinos', diz Haley
Por sua vez, o jornalista palestino da Faixa de Gaza, Mustafa al Sawaf, comentou à Sputnik que "em resposta à agressão israelense, os palestinos continuam marchando".

"O povo palestino já não espera ajuda da comunidade internacional. Ele percebeu a necessidade de criar seu destino por conta própria, então, ele deve agir", destacou.

A indignação maciça dos palestinos é provocada pela transferência da embaixada dos EUA a Jerusalém, cuja inauguração ocorreu na segunda-feira (14), no 70º aniversário do Estado de Israel. Donald Trump, presidente norte-americano, anunciou a transferência ainda em dezembro, provocando protestos em massa e a desaprovação de países muçulmanos, bem como de países que apoiam a resolução pacífica do conflito palestino-israelense.

De acordo com os últimos dados, a série de confrontos na Faixa de Gaza já matou ao menos 61 pessoas, todas do lado árabe. Trata-se do maior número de vítimas em território palestino desde 2014.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала