Países árabes convocam reunião de emergência para condenar violência de Jerusalém

© AP Photo / Adel HanaManifestantes palestinos correm para se proteger de bombas de gás lacrimogêneo disparadas por soldados israelenses durante confrontos em Gaza (arquivo)
Manifestantes palestinos correm para se proteger de bombas de gás lacrimogêneo disparadas por soldados israelenses durante confrontos em Gaza (arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os ministros das Relações Exteriores da Liga Árabe realizarão uma reunião urgente nesta quinta-feira em Cairo sobre a situação em Jerusalém e a situação nos territórios palestinos.

A reunião será realizada por iniciativa da Arábia Saudita, que atualmente preside a Liga Árabe.

U.S. Ambassador to the United Nations NIkki Haley speaks to the American Israel Public Affairs Committee (AIPAC) policy conference in Washington, U.S., March 27, 2017 - Sputnik Brasil
'Não há ligação entre mudança da embaixada dos EUA e mortes de palestinos', diz Haley
Em 16 de maio, a Liga Árabe realizou uma reunião preparatória no nível de representantes permanentes, na qual foi acordado um projeto de resolução, que deve ser aprovado pelos ministros.

Conforme relatado pelo embaixador saudita na Liga, a resolução reiterará a posição negativa dos países árabes sobre a decisão dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel e transferir sua embaixada para lá.

Já o vice-Secretário-Geral da Liga Árabe, Hossam Zaki, indicou que a Secretaria-Geral da organização estaria elaborando medidas para enfrentar a decisão de Washington.

A Liga Árabe condenou o uso da força contra os manifestantes palestinos pelo exército israelense e descreveu como ilegal a transferência da sede diplomática dos EUA.

Em 14 de maio, a embaixada dos EUA abriu em Jerusalém, provocando manifestações violentas e confrontos entre os palestinos e as forças de segurança israelenses.

Medics treat Palestinian children suffering from teargas inhalation during a protest near Beit Lahiya, Gaza Strip, Monday, May 14, 2018 - Sputnik Brasil
Israel tem 'balas para todos', provoca aliado de Netanyahu após mortes de palestinos
Além disso, os protestos coincidiram com o 70º aniversário da criação do Estado de Israel, conhecido na Palestina como Nakba ("catástrofe" em árabe), quando começou a expulsão de cerca de 750 mil palestinos de suas terras.

Os confrontos resultaram em 61 palestinos mortos e mais de 2.700 feridos, segundo fontes médicas palestinas.

Vários países da Europa, América Latina, Ásia e África condenaram a violência contra manifestantes palestinos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала