Blefe de Teerã? Economia iraniana não será afetada por sanções dos EUA, diz BC

© AFP PHOTO/ATTA KENARE20000 rial banknote bearing a portrait of Iran's late founder of islamic Republic Ayatollah Ruhollah Khomeini
20000 rial banknote bearing a portrait of Iran's late founder of islamic Republic Ayatollah Ruhollah Khomeini - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A economia do Irã está pronta após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidir abandonar o acordo nuclear firmado em 2015, segundo informações do Banco Central (BC) iraniano.

"Estamos preparados para todos os cenários. Se a América sair do acordo, nossa economia não será afetada", disse o chefe do banco central iraniano Valiollah Seif na televisão estatal, horas antes da decisão de Washington.

Trump anunciou na terça-feira que os EUA desistiram do acordo assinado em 2015 pelo Reino Unido, China, Rússia, França, Alemanha e Estados Unidos.

A perspectiva de Washington voltar a impor sanções contra Teerã provavelmente afetará o setor petrolífero iraniano, que responde por 60% das receitas do país.

Jean-Yves Le Drian, ministro das Relações Exteriores da França - Sputnik Brasil
França diz que acordo com Irã 'não morreu' e decisão de Trump aumenta risco de guerra

O rial do Irã, moeda do país persa, foi negociado perto de baixas recordes em relação ao dólar americano no mercado livre na terça-feira, enquanto os moradores tentavam comprar o dólar, de acordo com o site de câmbio Bonbast.com. O dólar estava sendo vendido por 65 mil riais depois de atingir uma baixa recorde de 67.800 no domingo.

Possíveis interrupções nas exportações iranianas elevaram os preços do petróleo para a alta de 3,5 anos na segunda-feira. No mês passado, Trump criticou a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) por manter os preços "artificialmente muito altos".

"Se assumirmos que ele voltará às sanções de 2012, estimamos uma perda de 0,4 milhão de barris por dia de oferta iraniana com base nos números recentes de exportações iranianas. Qualquer coisa maior do que isso será otimista", afirmou Virendra Chauhan, analista de petróleo da Energy Aspects em Singapura, conforme citado pela Agência Reuters.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала