Garoto filmado durante 'ataque químico' em Douma revela detalhes

© AFP 2022 / Msallam Abdalbaset Membros da defesa civil síria, mais conhecidos como Capacetes Brancos em Damasco, foto de arquivo.
Membros da defesa civil síria, mais conhecidos como Capacetes Brancos em Damasco, foto de arquivo. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O garoto sírio Hassan Diab, que aparece em um vídeo da ONG "Capacetes Brancos" como uma suposta "vítima" do ataque com armas químicas em Douma, revelou o que aconteceu na realidade.

"Estávamos no porão. Minha mãe me disse que não temos nada para comer hoje. Comeríamos só amanhã. Então ouvimos gritos na rua - todos deveríam ir até o hospital. Corremos para o hospital e, assim que chegamos, fui agarrado e começaram a jogar água em cima de mim. Depois nós colocaram na maca, junto à outras pessoas", contou o garoto em entrevista para a emissora Rossiya 24.

O correspondente de guerra da emissora, Yevgeny Poddubny, destacou que o garoto foi obrigado a participar do vídeo.

"O garoto não tinha o que comer. Ofereceram arroz, tâmaras e biscoitos para ele participar da filmagem", disse ele. 

As palavras de Hassan foram confirmadas pelo seu pai, que confirmou o fato de não ter tido nenhum tipo de ataque químico na cidade.

"Quando soube que a criança está no hospital, pedi licença no trabalho e corri para lá. Não havia arma química alguma. Eu fumei na rua e não senti nada. Cheguei no hospital e vi a minha família. Os combatentes deram tâmaras, biscoitos e arroz pela filmagem e liberaram todos. O meu filho estava se sentindo muito bem", revelou o pai do garoto.

Привет. Это Хасан Диаб. Ему 11 лет и он снимался в ролике Белых касок за еду (финики, рис, печенье) 7 апреля в Думе. Хасан жив и здоров и передает привет всем, кто так сильно переживает за пострадавших в Думе от отравления, и одобряет удары по Сирии. ************************************************************In return for playing a victim in #WhiteHelmets propaganda video 11 year old #HassanDiab got some badly needed food a few dates, rice, and a cookie He is alive and well and sends his greetings to everyone#whitehelmets #douma #syria #chemicalattack

Uma publicação compartilhada por Евгений Поддубный (@evgeny.poddubny) em 18 de Abr, 2018 às 8:16 PDT

Posição do Ocidente

No início de abril, o Ocidente acusou Damasco de realizar ataque químico contra a cidade de Douma, na Ghouta Oriental, e ameaçou retaliar. Moscou negou a informação sobre uma bomba de cloro, supostamente atirada por militares sírios. A chancelaria russa declarou que a desinformação sobre ataques químicos na Síria busca proteger os terrositas e justificar atuação militar de terceiros no país árabe. 

Na madrugada de 14 de abril, EUA, Grã-Bretanha e França realizaram um ataque de mísseis conjunto contra instalações do governo sírio que, segundo o Ocidente, eram usadas na fabricação de armas químicas. Mais de 100 mísseis foram disparados, 71 dos quais foram abatidos por defesa antiaérea síria. As forças russas não foram mobilizadas, mas acompanharam o ataque. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou o ataque como agressão contra um país soberano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала