'Defesa do livre comércio': China protegerá interesses diante de tarifas dos EUA

© AP Photo / Ng Han Guan, PoolBandeiras chinesas e norte-americanas
Bandeiras chinesas e norte-americanas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Segundo afirmou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, seu país terá êxito na disputa pelo livre comércio multilateral caso os Estados Unidos continuem com o que chamou de política comercial irresponsável. A declaração foi feita nesta terça-feira (17).

Nas últimas semanas, as relações comerciais entre a China e os Estados Unidos se deterioraram. Em março, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma ordem para impor uma tarifa de 25% sobre o aço importado e uma tarifa de 10% sobre o alumínio importado. Em resposta, a China introduziu suas próprias tarifas sobre bens produzidos nos Estados Unidos. No início de abril, Trump sugeriu a introdução de um adicional de US$ 100 bilhões em tarifas contra a China em resposta ao que chamou de "retaliação injusta" de Pequim.

US President Donald Trump, right, speaks to British Prime Minister Theresa May during in a working dinner meeting at the NATO headquarters during a NATO summit of heads of state and government in Brussels on Thursday, May 25, 2017. - Sputnik Brasil
ONU: EUA, França e Reino Unido esperam que Rússia e China apoiem resolução sobre a Síria
"Se os Estados Unidos continuarem indo contra o fluxo e agindo de maneira imprudente, a China, sem dúvida, estará pronta para demonstrar sua força e vencer nesta batalha de defesa do livre comércio multilateral. Faremos isso não só para garantir os direitos e interesses legítimos da China, mas também para proteger o sistema global de comércio multilateral e ordem", disse Hua.

Ela destacou que a China e os Estados Unidos, as maiores economias do mundo, seriam estreitamente interdependentes. Portanto, Pequim e Washington devem cooperar com base no respeito mútuo e na igualdade, acrescentou a porta-voz.

Hua também comentou sobre a decisão dos EUA de suspender as exportações da Zhongxing Telecommunications Equipment Corporation (ZTE) da China nos próximos 7 anos por suspeita de violações da empresa contra a Coreia do Norte e o Irã.

"A China acompanhará de perto a situação e estará pronta para tomar as medidas necessárias para proteger os direitos e interesses legítimos das empresas chinesas", disse ela.

Em 10 de abril, a China entrou com uma queixa na OMC contra Washington contra as novas tarifas dos EUA. Pequim alega que as tarifas dos EUA são inconsistentes com as disposições do Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio (GATT, na sigla em inglês) da OMC, de 1994, além de manifestar a mesma situação em relação ao Acordo sobre Salvaguardas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала