Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Saiba como a Rússia pode repelir um ataque dos EUA contra a Síria (FOTOS)

© Sputnik / Sergei MalgavkoSistemas de mísseis S-400 Triumph do regimento de defesa antiaérea na cidade russa de Teodósia, na Crimeia
Sistemas de mísseis S-400 Triumph do regimento de defesa antiaérea na cidade russa de Teodósia, na Crimeia - Sputnik Brasil
Nos siga no
Com os Estados Unidos e a Rússia envolvidos em uma discussão pública sobre as consequências de um possível ataque norte-americano contra a Síria, as capacidades que Moscou tem para responder a ele são uma questão importante.

Washington ameaçou uma ação militar contra o governo sírio em resposta a um suposto ataque de armas químicas em Douma, que aconteceu exatamente um ano depois da primeira agressão americana contra a Síria.

Em abril de 2017, o presidente estadunidense Donald Trump estava aparentemente satisfeito com um ataque aéreo contra uma base aérea síria, lançando mão de dezenas de mísseis Tomahawk.

A situação atual parece muito mais tensa, com a Rússia ameaçando abertamente se opor diretamente a um ataque americano ao solo sírio. A determinação da Rússia pode ser questionada, considerando seu histórico de não se opor aos ataques israelenses na Síria, mas sua capacidade de resistir ao ataque não está em disputa.

© Sputnik / Anton Denisov / Abrir o banco de imagensSistemas de mísseis S-400
Sistemas de mísseis S-400 - Sputnik Brasil
Sistemas de mísseis S-400

As tropas russas têm dois locais primários na Síria: a base aérea de Khmeimim, perto da cidade portuária de Latakia, no norte; e a instalação naval de Tartus, na parte norte da costa síria. Ambos os locais são cobertos por mísseis terra-ar de longo alcance, incluindo os sistemas S-400 implantados perto de Khmeimim e os S-300VM que defendem Tartus.

Ambos os sistemas de defesa têm um alcance reportado de até 400 quilômetros, dependendo do míssil usado, e são considerados entre os melhores sistemas antimísseis de longo alcance do mundo atualmente em serviço.

© Sputnik / Ramil Sitdikov / Abrir o banco de imagensSistema Buk-M2 durante a inauguração solene do salão aeroespacial internacional MAKS 2017
Sistema Buk-M2 durante a inauguração solene do salão aeroespacial internacional MAKS 2017 - Sputnik Brasil
Sistema Buk-M2 durante a inauguração solene do salão aeroespacial internacional MAKS 2017

 

Complementando esses interceptadores estão os sistemas de alcance mais curto, incluindo o Buk-M2 de médio alcance e o Pantsir S1 de curto alcance. Os sistemas destinam-se a projetar camadas sobre camadas de cobertura de negação de acesso / área, defendendo um local estratégico de qualquer ameaça, de pequenos drones armados e aeronaves de baixa altitude a mísseis balísticos táticos.

© Sputnik / Ivan Rudnev / Abrir o banco de imagensAvião-radar russo A-50
Avião-radar russo A-50 - Sputnik Brasil
Avião-radar russo A-50

 

O suposto ponto fraco dos sistemas de defesa aérea russa de longo alcance é a precisão de alvos, o que requer cobertura adicional de radar. Na Síria, é improvável que seja um problema, no entanto, considerando o uso russo de sua contraparte ao AWACS, o radar A-50 aerotransportado, e relata que suas defesas aéreas foram integradas com os recursos soviéticos mais antigos usados pelas tropas sírias.

President Donald Trump speaks before he signs a presidential memorandum imposing tariffs and investment restrictions on China in the Diplomatic Reception Room of the White House, Thursday, March 22, 2018, in Washington. - Sputnik Brasil
Trump: 'Nunca disse quando aconteceria um ataque contra Síria'

Os EUA podem tentar sobrecarregar os sistemas russos com uma barragem de mísseis, mas a eficiência do ataque ainda será significativamente reduzida.

Em um cenário de ataque de mísseis limitado, os militares russos podem cumprir a ameaça que fizeram e retaliar contra a origem dos mísseis — os destróieres de mísseis guiados dos EUA e possivelmente os submarinos de ataque atualmente instalados no Mediterrâneo.

Atacá-los com força letal seria uma grande escalada no conflito, mas os militares russos podem usar uma resposta limitada — usando equipamentos de guerra eletrônica para assediar os navios americanos, atrapalhando sua aquisição de alvos, geolocalização ou até mesmo sistemas anti-aéreos AEGIS.

A extensão do dano que isso pode causar é discutível, mas certamente tornaria o trabalho de destruir quaisquer alvos que o comando dos EUA tenha em mente na Síria muito mais difícil.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала