Especialista: Europa não consegue reduzir dependência do gás russo

© Sputnik / Pavel Palamarchuk / Abrir o banco de imagensGás russo
Gás russo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O gás russo continuará sendo um recurso essencial para a Europa nos próximos anos. Alemanha e Grã-Bretanha não conseguem diversificar o fornecimento, nem equilibrar a matriz com fontes renováveis, disse a diretora do departamento de estratégias de investimento e de pesquisas da Credit Suisse, Nannette Hechler-Fayd'herbe.

"Ao observar o mercado de gás, a Europa recebe mais de um terço desse recurso da Rússia. A produção local também existe, mas não é expressiva. A importação de gás da Rússia seguirá sendo uma fonte importante para a Europa, e principalmente para a Alemanha", disse a especialista à Sputnik.

Segundo ela, a Alemanha, nos próximos anos, ainda ficará dependente do gás, pois o país está deixando de recorrer ao carvão e abandonando a energia nuclear. "As fontes renováveis de energia não serão suficientes para suprir essa lacuna. A curto e médio prazo, a dependência do gás permanecerá", explicou a interlocutora da agência.

Gasoduto Nord Stream na Alemanha - Sputnik Brasil
1.200 km de muito gás: Europa elogia projeto transportador da Rússia a seus países
"A Grã-Bretanha anunciou essa intenção [de reduzir a dependência do gás russo], no âmbito do processo de saída da UE. Por enquanto é difícil dizer se a saída tornará as relações comerciais com a UE mais simples ou mais complexas. Provavelmente as duas coisas acontecerão", opinou Hechler-Fayd'herbe.

"Nesse contexto, acredito que a redução da dependência de gás russo será um processo gradual. Não penso que a Grã-Bretanha conseguirá se tornar um produtor, nem diversificar o fornecimento de uma forma rápida", concluiu.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала