Rússia não aceitará resultado da investigação do caso Skripal sem envolver seus peritos

© AP Photo / Peter DejongSede da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), em Haia, na Holanda
Sede da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), em Haia, na Holanda - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Moscou não aceitará qualquer resultado de investigações sobre o envenenamento de ex-espião russo, Sergei Skripal, realizadas sem especialistas russos. A declaração é do representante permanente da Rússia na Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), Alexandr Shulgin.

"Não aceitaremos nenhum resultado desta investigação se os especialistas russos não participarem", disse Shulgin ao canal Rossiya 1.

O embaixador da Rússia nos EUA, à época ministro da Defesa da Rússia, Anatoly Antonov, fala em um briefing no Ministério da Defesa em Moscou (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Embaixador russo nos EUA: caso Skripal é pretexto para difamar Rússia
Ele destacou que a função dos peritos OPAQ consiste "somente em examinar a composição química da substância usada em Salisbury".

"Mas sem indicar o país de origem nem de estabelecer quem são os responsáveis, este não é o seu mandato", disse o representante da Rússia.

Shulgin acrescentou que os peritos da organização internacional já estão examinando as amostras coletadas em Salisbury e "os resultados serão anunciados no final desta semana ou início da próxima". 

"Estamos prontos para um diálogo aberto, estamos prontos para cooperar com a OPAQ e dentro da OPAQ, por isso convocamos uma sessão especial desta organização para 4 de abril", disse o diplomata russo.

No dia 4 de março, o ex-oficial de inteligência russo Skripal, que também trabalhava para a inteligência britânica, foi encontrado inconsciente junto com sua filha em um banco de um shopping na cidade de Salisbury.

Especialistas britânicos acreditam que eles tenham sido atacados com o agente nervoso A-234 (também conhecido como "Novichok"). Os britânicos alegam que esta substância tóxica teria sido desenvolvida na União Soviética e colocam a culpa do ocorrido na Rússia. Moscou repetidamente rejeitou todas as acusações, qualificando-as infundadas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала