Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Inimigos do Irã: príncipe saudita reconhece que Israel tem 'direito' a ter sua terra

© Sputnik / Aleksei DruzhininMohamed bin Salman, herdeiro do trono saudita
Mohamed bin Salman, herdeiro do trono saudita - Sputnik Brasil
Nos siga no
O príncipe herdeiro e líder de fato da Arábia Saudita disse nesta segunda-feira que Israel tem "direito" a uma pátria, uma mudança notável na posição do reino, já que Riad e Tel Aviv ainda não têm relações diplomáticas formais.

Porém, mas nos bastidores, melhorias em seus laços se aceleraram nos últimos anos. Ambos os países veem o Irã como sua maior ameaça externa e os Estados Unidos como seu principal aliado, e ambos enxergam o perigo de extremistas islâmicos armados.

Protestos na Palestina contra decisão de Trump sobre Jerusalém - Sputnik Brasil
Israel e EUA arquitetam 'plano perigoso' no Oriente Médio, afirma parlamentar iraniano

O conflito de Israel com os palestinos há muito tempo se mostrou um obstáculo para uma reaproximação total, já que Riad ainda apoia a reivindicação de soberania da Palestina.

Mas agora o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman parece colocar as reivindicações de terras rivais em pé de igualdade. Questionado por Jeffrey Goldberg, editor-chefe da revista de notícias norte-americana The Atlantic, se o "povo judeu tem direito a um Estado-nação em pelo menos parte de sua pátria ancestral?", ele deu a seguinte resposta:

"Acredito que cada povo, em qualquer lugar, tem o direito de viver em sua nação pacífica", disse o príncipe, que está em uma turnê de três semanas pelos EUA. "Acredito que os palestinos e os israelenses têm o direito de ter sua própria terra".

"Mas nós temos que ter um acordo de paz para assegurar a estabilidade para todos e ter relações normais", continuou.

Desde 2002, a Arábia Saudita tem sido o principal patrocinador da Iniciativa de Paz Árabe, que prevê uma solução de dois Estados para o conflito entre palestinos e israelenses. Mas não se sabe se algum alto oficial saudita tenha aceitado anteriormente que Israel tenha "direito" a qualquer terra além da necessidade prática de garantir um acordo duradouro.

Soldados estão em um tanque da coalizão liderada pela Arábia Saudita, na periferia da cidade portuária de Aden, no sul do Iêmen. - Sputnik Brasil
Estados Unidos aprovam venda de mais de US$1 bi em armas para a Arábia Saudita

Se, como esperado, o príncipe herdeiro a suceder o seu pai octogenário, o rei Salman, e ascender ao trono saudita, ele também se tornará o guardião dos santuários mais sagrados do Islã.

Contudo, ele disse a Goldberg que não tinha "objeção religiosa" aos israelenses que vivem ao lado dos palestinos, desde que o principal local sagrado muçulmano em Jerusalém — o complexo da mesquita de Al-Aqsa — seja protegido.

"Temos preocupações religiosas sobre o destino da mesquita sagrada em Jerusalém e sobre os direitos do povo palestino", avaliou. "É isso que temos. Não temos nenhuma objeção contra outras pessoas".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала