Kremlin: Maioria das 'fake news' sobre incêndio na Rússia vieram da Ucrânia e Turquia

© Sputnik / Alexander Kryazhev / Abrir o banco de imagensO edifício do shopping "Winter Cherry" em Kemerovo, onde houve um incêndio.
O edifício do shopping Winter Cherry em Kemerovo, onde houve um incêndio. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A maioria dos relatos falsos sobre o incêndio em Kemerovo veio principalmente da Ucrânia e da Turquia, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

"Nós estabelecemos a origem de falsos relatos, eles vieram principalmente de dois países: Ucrânia e Turquia. Informações sobre 300-400-500 mortos se originaram dessa maneira ", disse Peskov falando em uma universidade russa, citado pelo Serviço Russo da BBC.

Flores e brinquedos na Praça Lenin para prestar homenagem às vítimas do incêndio no shopping em Kemerovo - Sputnik Brasil
Menino que perdeu família em incêndio de Kemerovo recupera consciência
Isso ocorre na quarta-feira, quando um tribunal de Moscou prendeu, à revelia, um troll ucraniano que divulgava informações falsas sobre o número de vítimas no acidente, alegando que havia centenas, em vez do confirmado, 64.

Na esteira das alegações falsas do homem preso, as autoridades russas tiveram que refutar repetidamente os rumores sobre centenas de vítimas no incidente. Segundo os dados oficiais, 64 pessoas, a maioria crianças, foram mortas no incêndio que ocorreu no domingo.

A região de Kemerovo declarou um período de luto de três dias sobre o incêndio, enquanto o presidente russo, Vladimir Putin, assinou um decreto declarando um dia de luto nacional na quarta-feira.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала