Para o que caças russos estão se preparando no Ártico?

© Ministério da Defesa da RússiaEm 2017, o Ministério da Defesa da Rússia planeja continuar explorando o Ártico e construir mais 100 complexos militares
Em 2017, o Ministério da Defesa da Rússia planeja continuar explorando o Ártico e construir mais 100 complexos militares - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Recentemente, caças russos repeliram um "ataque aéreo" durante as manobras no Ártico. Como frisou o especialista em assuntos militares, Viktor Baranets, em uma entrevista à Sputnik, a Rússia está estabelecendo uma guarda segura sobre a região.

Os pilotos da base aérea de Kamchatka da Frota do Pacífico participaram dos treinamentos das forças de defesa antiaérea para repelir um ataque do inimigo convencional no Ártico, comunicou há pouco o chefe do Departamento de Informações da Assessoria de Imprensa do Distrito Militar Oriental para a Marinha, Nikolai Voskresensky.

Marinheiro do submarino USS Hartford - Sputnik Brasil
O que OTAN busca com atividade crescente de submarinos no Ártico?
"Na qualidade de inimigo, foi apresentado um grupo de aviões antissubmarino Il-38N que imitaram os bombardeamentos do inimigo convencional, cuja principal tarefa era efetuar uma passagem para a região do mar de Chukotka e imitar um ataque aéreo contra objetivos na região de Chukotka a partir do norte", comunicou o militar aos jornalistas.

A partir do aeródromo, localizado na Kamchatka, depois do alerta foram colocados no ar dois caças interceptores de grande altitude MiG-31. Eles deveriam eliminar os aviões do inimigo convencional ainda antes do início dos bombardeamentos.

"Ao efetuarem esta tarefa, os pilotos de Kamchatka efetuaram pela primeira vez um voo ininterrupto de mais de 4.000 quilômetros até à região do Ártico com dois reabastecimentos em voo por um avião-reabastecedor Il-7", comunicou.

Na região ártica, os caças efetuaram lançamentos eletrônicos de mísseis do tipo ar-ar de grande alcance, eliminando com sucesso todos os aviões do "inimigo". Além disso, pela primeira vez durante os exercícios, a orientação dos interceptores MiG-31 contra os alvos decorreu sob controle de postos de radar e de orientação da aviação do Distrito Militar Oriental.

Marinhas dos EUA e do Reino Unido realizam exercícios marítimos conjuntos no Ártico - Sputnik Brasil
Nesta semana 3º submarino emerge do gelo no Ártico, mas desta vez não é americano (VÍDEO)
Ao falar com o serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista em assuntos militares e coronel aposentado, Viktor Baranets, falou sobre os objetivos de tais treinamentos.

"O exército russo está ativamente desbravando e equipando o Ártico — está sendo criada uma grande infraestrutura que corresponde às condições árticas. São construídas bases, aeródromos, está sendo desenvolvido todo um leque de equipamentos árticos. Tudo isso, com toda a lógica, é testado com temperaturas baixas e em vastos espaços brancos. Além disso, se sabe que os países ocidentais, tais como os EUA, o Canadá, até a Austrália e outros, têm cada vez mais o Ártico como seu ‘alvo', realizando lá todo o tipo de manobras", explicou Baranets.

De acordo com o militar, a Rússia, sem dúvidas, está "estabelecendo uma guarda segura sobre o Ártico que é seu, que é russo".

"É com este objetivo que se realizam as manobras de Tropas Aerotransportadas, infantaria mecanizada, tropas da defesa antiaérea e da Marinha; neste momento estes [objetivos] estão sendo treinados no espaço aéreo do Ártico também pelos pilotos russos. E dá para entender por quê. Tendo lá vários aeródromos e um grupo de aviação, seria estúpido, claro, ficar de mãos cruzadas esperando que alguém ataque. Os pilotos russos estão treinando as possíveis variantes para repelir ameaças aéreas", sublinhou.

Para mais, Barenets contou que o trabalho no espaço aéreo do Ártico tem suas particularidades. Estas, por sua vez, não estão relacionadas apenas com as temperaturas extremamente baixas e territórios vastos.

Sistemas de mísseis antiaéreos Tor-M2DT na Praça Vermelha durante Parada da Vitória 2017 - Sputnik Brasil
Foi publicado VÍDEO de ensaios do sistema de mísseis 'ártico' russo
"Além de tudo isso, são testados os equipamentos aéreos na sua versão ártica. Já isto representa um complexo de problemas muito sofisticado, que inclusive tem a ver com o combustível especial e táticas especiais. As fronteiras russas no Ártico são bem delimitadas, mas não reconhecidas pelos concorrentes ocidentais. Até que todas estas questões sejam resolvidas a nível internacional, a Rússia deve estar preparada para defender seu Ártico natal, repelindo todos os tipos de ameaças", manifestou.

Em resumo, o especialista afirmou que, a seu ver, esta certamente não é a última vez que decorre tal tipo de manobras.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала