Cientistas descobrem onde nasceu primeiro 'alienígena' de nosso Sistema Solar

Nos siga noTelegram
O objeto misterioso interestelar, agora chamado de Oumuamua (que significa "primeiro mensageiro" em havaiano) foi encontrado cruzando nosso Sistema Solar em outubro por telescópios robóticos no Havaí.

Asteroide - Sputnik Brasil
Caso este asteroide atinja Terra, impacto será 3 vezes maior que todas as bombas nucleares
A trajetória do Oumuamua, considerado o primeiro asteroide interestelar, já observado em nosso Sistema Solar, veio de outro sistema estelar e estava a caminho para o espaço interestelar. Isso causou uma corrida contra o tempo: os astrônomos tinham apenas uma semana antes do corpo misterioso desaparecer da visão.

Identificar o sistema estelar, de onde o asteroide veio, parecia uma tarefa quase impossível. Nossa galáxia contém centenas de bilhões de estrelas. Agora, no entanto, um novo estudo publicado na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society (revista científica sobre astronomia e astrofísica), sugere que Oumuamua teria vindo de uma estrela binária.

Estrelas binárias são sistemas com duas estrelas orbitando uma em torno da outra. Junto com os sistemas que contam com três ou mais estrelas, representam aproximadamente um terço das estrelas na galáxia.

Alan Jackson, da Universidade de Toronto em Scarborough (Canadá) e seus colaboradores usaram modelos em computador para descobrir que objetos rochosos, tal como Oumuamua, têm mais probabilidades de vir de sistemas binários do que de estrelas individuais.

asteroide - Sputnik Brasil
Asteroide enorme está se aproximando do nosso planeta (VÍDEO)
Os cientistas revelaram que sistemas de estrelas individuais, igual a nosso Sistema Solar, são melhores para expulsar cometas congelados do que asteroides. Isso ocorre porque os cometas localizam-se muito mais longe do Sol, por isso são menos afetados pela gravidade dos asteroides mais próximos.

No entanto, em um sistema estelar binário existem campos gravitacionais mais fortes devido à influência de duas estrelas que orbitam entre si. De acordo com o novo estudo, isso seria suficiente para expulsar asteroides, bem como cometas ao espaço interestelar.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала