Força Aeroespacial russa continuará apoiando tropas sírias na luta antiterrorista

© Sputnik / Dmitry Vinogradov / Abrir o banco de imagensGrupo aéreo militar russo na base aérea de Hmeymim na Síria (foto de arquivo)
Grupo aéreo militar russo na base aérea de Hmeymim na Síria (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Força Aeroespacial da Rússia continuará apoiando os militares sírios no combate aos grupos terroristas, comunicou o Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

Patrulha dos EUA nos arredores de Manbij, Síria - Sputnik Brasil
Ancara: Turquia e EUA criarão 'zona de segurança' ao redor de Manbij, na Síria
Segundo diz o comunicado da chancelaria russa, o país é a favor da independência, soberania e integridade territorial da Síria, devendo a aviação russa continuar apoiando o exército do país árabe.

"A Força Aeroespacial da Rússia continuará apoiando as Forças Armadas da Síria no trabalho de eliminação definitiva de grupos terroristas no território sírio", informa o comunicado da chancelaria antes das negociações previstas entre os chanceleres da Rússia, Turquia e Irã (garantes do regime de cessar-fogo na Síria).

A chancelaria sublinhou que a luta contra o terrorismo deve ser uma tarefa comum de toda a comunidade internacional.

"As tentativas de dividir os terroristas em 'bons' e 'maus', o uso de 'padrões duplos' […] são inadmissíveis", acrescentou o ministério.

Uma área da cidade de Aleppo, na Síria, atacada por militantes, em foto de arquivo - Sputnik Brasil
Moscou: descobertas de gás de cloro na Síria confirmam que terroristas têm armas químicas
A Rússia, o Irã e a Turquia, como garantes do cessar-fogo, visam fortalecer a sua cooperação para que o processo de negociações de resolução do conflito na Síria seja irreversível, com base nos interesses de todos os cidadãos do país árabe.

Desde março de 2011, a Síria tem enfrentado um conflito armado entre as forças governamentais, grupos armados de oposição e organizações terroristas.

A Rússia, a Turquia, e o Irã mediaram o estabelecimento, no fim de dezembro de 2016, de uma trégua, patrocinando o processo de paz de Astana, no âmbito do qual foram criadas quatro zonas de desescalada para fortalecer o armistício e separar os rebeldes dos grupos terroristas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала