Para que urso mostra suas garras: mídia alemã analisa implicações do novo arsenal russo

© Sputnik / Grigory Sysoev / Abrir o banco de imagensImagem do novo drone submarino russo mostrada durante a mensagem anual de Vladimir Putin à Assembleia Federal Rússia
Imagem do novo drone submarino russo mostrada durante a mensagem anual de Vladimir Putin à Assembleia Federal Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em sua polêmica com o líder norte-coreano, o presidente dos EUA, Donald Trump, falou sobre quem possui o maior botão nuclear. Agora, essas palavras agora exigem uma revisão na sequência do discurso de Vladimir Putin e da revelação do novo armamento russo de tecnologia de ponta, assinalou o jornal alemão Stern.

Militar testa fuzil subaquático - Sputnik Brasil
Rússia começará em breve produção em massa de fuzil subaquático
Enquanto o discurso do presidente russo em 1º de março abordou vários tópicos relevantes para o desenvolvimento nacional, Putin apresentou também os mais recentes desenvolvimentos do equipamento militar russo, o que atraiu uma grande atenção por parte da mídia internacional, assinalou o autor do artigo, Gernot Kramper.

O líder russo enfatizou que os novos tipos de armas russas são "invencíveis" para os meios da defesa contemporâneos e promissores.

De fato, os especialistas não ficaram muito surpresos já que a Rússia reiterou repetidamente que estava desenvolvendo e fabricando armas para contrariar as crescentes ameaças militares contra ela.

Quão perigosas são as armas russas? 

Tanques da OTAN na Letônia, perto da fronteira com a Rússia - Sputnik Brasil
Pentágono revela quando Rússia superará poder dos EUA na Europa
O autor qualificou as novas armas russas como "muito perigosas" e acrescentou que, embora não proporcionem à Rússia "o poder sobre o mundo", elas permitem que Moscou se contraponha aos EUA em qualquer conflito.

Kramper reiterou que os planos militares da Rússia nunca foram um segredo e que o "status quo" não mudou: tal como antes – na época da Guerra Fria – uma vez lançados os mísseis estratégicos, eles já não poderão ser interceptados.

"Mas se imaginarmos que o escudo antimíssil norte-americano na Europa foi instalado não contra os mísseis imaginários iranianos, mas contra os russos, então, há de constatar que a tentativa dispendiosa de Washington de neutralizar o arsenal estratégico da Rússia acabou sofrendo uma derrota", opinou o jornalista.

O "perigo real" para os EUA e os países do Ocidente radica não na capacidade da Rússia de lançar um ataque nuclear devastador, mas nas armas hipersônicas russas.

Dianne Feinstein, ex-presidente do Comitê de Inteligência do Senado dos EUA, discursando no Capitólio durante o seu mandato - Sputnik Brasil
Novas armas russas: senadores querem que EUA inicie diálogo com Moscou
Enquanto "pode-se duvidar que um míssil a propulsão nuclear esteja pronto para ser implantado", os mísseis Kinzhal e Avangard parecem demonstrar a superioridade da Rússia contra qualquer concorrente neste campo, acredita o autor.

A este fato soma-se uma notável mudança de posição do Kremlin no que se trata das exportações do equipamento bélico mais sofisticado, como o sistema antiaéreo S-400.

"Se Vladimir Putin tornar as armas hipersônicas disponíveis para venda […] Sua proliferação diminuirá consideravelmente a capacidade dos EUA de utilizarem sua força militar esmagadora em todos os cantos do planeta", conclui Kramper.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала