'Invasão' à americana: EUA posicionam navio de assalto anfíbio no Indo-Pacífico (VÍDEO)

© Foto / Marinha dos EUAO navio de assalto USS Wasp norte-americano
O navio de assalto USS Wasp norte-americano - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Ao posicionar seu navio de assalto anfíbio multifuncional Wasp, que possui uma frota de caças-bombardeiros F-35B Lightning II, Washington lança um sinal de advertência à China e Coreia do Norte.

Militares do Exército de Libertação Popular durante o desfile militar comemorativo do 90° aniversário da fundação do exército, na base militar de Zhurihe na China, em 30 de julho de 2017 - Sputnik Brasil
Estados Unidos estão se preparando para guerra nuclear com China?
Na segunda-feira (5), pela primeira vez na história, a Infantaria da Marinha estadunidense enviou um navio de assalto anfíbio multifuncional equipado com uma frota de caças-bombardeiros F-35B ao Indo-Pacífico, segundo informa o site oficial da Marinha.

Recentemente a Infantaria da Marinha publicou no Twitter o vídeo de aterrissagem vertical do caça F-35B Lightning II em um navio de assalto anfíbio USS Wasp na mencionada região.

A gravação demonstra um momento histórico para as forças estadunidenses.

"É um deslocamento histórico", assegura Tye R. Wallace, coronel e comandante da Unidade Expedicionária de Fuzileiros.

A operação culmina o período de testes das modificações do Wasp, que foi iniciado em 2013.

Ao mesmo tempo, o Esquadrão 121 planeja realizar uma série de voos de treinamento, segundo revelam os dados do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos.

Momento histórico para a Marinha dos EUA: caça F-35B aterrissa no USS Wasp e marca nova era de capacidades aumentadas das Forças Navais estadunidenses no Indo-Pacífico.

"Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA no Pacífico se encontra em melhor posição do que anteriormente para apoiar nossos esforços destinados para garantir a segurança do Japão e da região", indicou o capitão Colby Howard, comandante do Wasp.

Soldados chineses gritando slogans enquanto o presidente Xi Jinping inspeciona o Exército de Libertação Popular, em 30 de junho de 2017 - Sputnik Brasil
'Se quer paz, prepare-se para a guerra': analista comenta novo orçamento militar da China
Segundo indica o jornal Business Insider, essa ação estadunidense evidencia que EUA intentam exibir sua força e envia um sinal de advertência a seus adversários na região Ásia-Pacífico, como China e Coreia do Norte. Enquanto Pequim está aumentando sua presença militar no mar do Sul da China no âmbito de disputas territoriais em torno das ilhas Spratly e efetua manobras militares nessa área, EUA enviam uma frota de caças F-35B para aumentar seu poder aéreo no mar.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала