Putin: Russos acusados de interferência eleitoral pelos EUA não agiram por ordem de Moscou

© Sputnik / Mikhail Klimentiev / Abrir o banco de imagensDiscurso anual de Vladfimir Putin perante a Assembleia Federal
Discurso anual de Vladfimir Putin perante a Assembleia Federal - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Cidadãos russos acusados pelos Estados Unidos de interferirem nas eleições presidenciais dos EUA em 2016 não agiram em nome das autoridades do país, disse o presidente da Rússia, Vladimir Putin, à emissora da NBC em uma entrevista neste domingo.

"Eles não representam o Estado russo, as autoridades russas. O que eles fizeram especificamente, eu não tenho ideia", disse Putin.

A bandeira americana em um veículo vibra quando o sol se põe atrás da cúpula do Capitólio dos EUA nas horas antes de o presidente Barack Obama entregar o discurso do Estado da União a uma sessão conjunta do Congresso em Washington em 12 de janeiro de 2016 - Sputnik Brasil
Partido Democrata publica memorando sobre investigação da suposta interferência russa
O presidente russo acrescentou que, mesmo que os cidadãos russos fossem culpados, as autoridades dos EUA devem compartilhar as informações que têm sobre o tema.

"Deixe-os não apenas falar com a imprensa como também fornecer materiais, especificidades e dados. Nós estaremos preparados para discutir sobre isso", disse Putin.

Putin também enfatizou que a Rússia nunca extraditará seus cidadãos, acusados ​​da interferência eleitoral, para os Estados Unidos.

"Nunca. O russo nunca extradita a seus cidadãos a ninguém, assim como os Estados Unidos", disse Putin, respondendo a pergunta de Megyn Kelly.

Julian Assange se dirige aos jornalistas e manifestantes na Embaixada do Equador em Londres - Sputnik Brasil
'Insignificante': Assange fala sobre suposta interferência russa nos EUA
A entrevista ocorre depois de o Departamento de Justiça dos EUA acusar 13 cidadãos russos e três entidades de tentar interferir na votação presidencial de 2016. A acusação de 27 páginas, produto da sondagem do procurador Robert Mueller, alegou que foram usadoas contas falsas para tentar influenciar o resultado das eleições a favor do presidente dos EUA, Donald Trump.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала