Reino Unido se prepara para negociar assunto delicado: a fronteira das Irlandas pós-Brexit

© REUTERS / Francois LenoirA primeira-ministra britânica, Theresa May, chega à cúpula da UE em Bruxelas, na Bélgica, em 23 de junho de 2017.
A primeira-ministra britânica, Theresa May, chega à cúpula da UE em Bruxelas, na Bélgica, em 23 de junho de 2017. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, destacou em conversas com os primeiros-ministros do País de Gales e da Escócia que o governo do Reino Unido garantiria a ausência de fronteira dura entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda após Brexit, disse o porta-voz do primeiro ministro.

"Juntamente com as cinco bases que sustentariam a futura parceria, ela [May] disse que buscaríamos arranjos aduaneiros que levariam ao comércio sem atrito com nossos vizinhos europeus, além de garantir a ausência de uma fronteira dura entre a Irlanda do Norte e a Irlanda", informou um comunicado de imprensa do governo.

Homem cruza a área de Bogside, na Irlanda do Norte, no dia 22 de março de 2017, quando foi enterrado Martin McGuiness, um dos ex-comandante do grupo terrorista Exército Republicano Irlandês (IRA, na sigla em inglês) - Sputnik Brasil
Por que o Brexit e a aliança de May podem reabrir velhas feridas na Irlanda?
O governo britânico planeja realizar a reunião plenária do Comitê Ministerial Conjunto com representantes da liderança da Irlanda do Norte, da Escócia e do País de Gales.

May disse na sexta-feira que o Reino Unido esperava manter a sua adesão à Agência Europeia de Medicamentos, à Agência Europeia para a Segurança da Aviação e à Agência Europeia dos Produtos Químicos. Ao mesmo tempo, a primeira-ministra destacou que o Reino Unido estava planejando deixar o mercado único europeu e a união aduaneira.

Com histórico de sangrentos conflitos por motivação religiosa, a Irlanda do Norte é separada da vizinha, Irlanda, desde o Acordo de Belfast assinado em 1998. O texto selou a paz estabelecendo o compartilhamento de poderes entre católicos e protestantes, mas a existência de uma fronteira alfandegária após a saída da União Europeia pelo Reino Unido poderia esquentar a situação na região.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала