Recandidatura de Maduro na Venezuela dará continuidade à política de 'inimigos externos'?

Nos siga noTelegram
O Partido Comunista da Venezuela (PCV) apresentou a candidatura do atual presidente venezuelano, Nicolás Maduro, às próximas eleições presidenciais que estão marcadas para 22 de abril.

Nicolás Maduro, presidente de Venezuela - Sputnik Brasil
Maduro é candidato oficial à presidência da Venezuela
Vladimir Zorin, vice-chefe do Instituto da Etnologia e Antropologia da Academia das Ciências da Rússia, membro do Conselho Presidencial para as relações internacionais, falou sobre as chances de Maduro nas eleições deste ano.

Para ele, desde o início de sua presidência que Maduro foi mal aceito por certos países que agem ativamente contra ele.

"O fato de Maduro receber apoio das forças políticas que costumamos chamar 'de esquerda' é um sinal de que povo entende que a maioria dos problemas da Venezuela vêm de fora e têm influência de um fator externo", destacou Zorin para serviço russo da Rádio Sputnik.

Especialista russo detalhou que a luta não será nada fácil para Maduro, mas, no entanto, Zorin tem uma visão otimista no que diz respeito à candidatura do atual presidente.

Diosdado Cabello em 2013 - Sputnik Brasil
Oposição quer que os EUA bombardeiem a Venezuela, afirma aliado de Maduro
Para além disso, lembrou que há interesses econômicos profundos de Moscou e Caracas que coincidem e expressou a esperança de que Rússia não tenha que mudar o rumo já traçado nas relações econômicas com Venezuela.

Quanto à oposição venezuelana, algo que provoca muitas críticas em relação a Maduro são as dificuldades causadas aos opositores políticos, mas Vladimir Zorin está seguro que todos os escândalos e críticas em torno da posição do atual governo em relação à oposição no país também estão sendo nutridos do exterior.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала