Lavrov: cessar-fogo na Síria não deve se relacionar com terroristas

© AP Photo / Salve as criançasHomem com crianças em Ghouta Oriental
Homem com crianças em Ghouta Oriental - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse que o regime de cessar-fogo não deve estar relacionado com o Daesh, Frente al-Nusra (organizações terroristas proibidas na Rússia) e os grupos afiliados com eles, mas o Ocidente discorda disso.

Sukhoi PAK FA T-50 - Sputnik Brasil
Caça russo de 5ª geração teria sido visto na Síria ? (FOTO, VÍDEO)
Lavrov também expressou a preocupação de que os países ocidentais querem desviar o foco da necessidade de lançar as negociações em Genebra para o início do plano "B" na Síria para derrubar o regime de Bashar Assad.

Além disso, o chanceler russo se preocupa com a resolução pela Síria proposta pelo Conselho de Segurança da ONU, dizendo que ela teria como objetivo acusar Damasco de tudo e proteger militantes.

"A resolução que nos propõem aceitar…, estamos dispostos a considerar essa proposta", comentou Lavrov, frisando que com isso o regime de cessar-fogo "em nenhum caso deve" se espalhar para o Daesh, Frente al-Nusra e aos grupos que cooperam com estas organizações terroristas e sistematicamente bombardeiam os bairros civis de Damasco.

Assim, o ministro comentou o projeto da resolução, e sobre a introdução do cessar-fogo de 30 dias na Síria para o fornecimento de ajuda humanitária e evacuação médica, proposta pelas delegações da Suécia e Kuwait ao Conselho de Segurança. A votação do projeto está marcada para quinta-feira (22).

Fumaça em Ghouta Oriental (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Moscou: países que apoiam terrorismo são responsáveis pela situação em Ghouta Oriental
Além do mais, o ministro sublinhou que as forças militares da Rússia que trabalham na Síria, em particular no Centro para a Reconciliação, propuseram aos militantes pacificamente deixar o território de Ghouta Oriental, similar à evacuação dos militantes com suas famílias de Aleppo Oriental.

Ghouta Oriental é uma das quatro zonas de desescalada criada durante as negociações em Astana sobre a reconciliação na Síria. Os três países – Rússia, Irã e Turquia são garantias dos acordos sobre desescalada, que são aplicados a todas as partes com exceção daquelas ligadas ao Al-Qaeda (organização terrorista proibida na Rússia).

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала