Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Fachin vota contra, mas STF concede prisão domiciliar para mães e gestantes

© Lula Marques / AGPTMinistro Edson Fachin
Ministro Edson Fachin - Sputnik Brasil
Nos siga no
Nesta terça-feira (20), a segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu conceder habeas corpus coletivo com mudança de regime de prisão preventiva para domiciliar a gestantes e mães de crianças.

A medida se estende a mulheres que tenham filhos de até 12 anos ou que estejam grávidas. Os juízes de primeira instância têm até 60 dias para aplicar a decisão.

Segundo o habeas corpus, não há condições nas prisões brasileiras para abrigar mulheres nessas condições, além de uma política discriminatória.

"a política criminal responsável pelo expressivo encarceramento feminino é discriminatória e seletiva, impactando deforma desproporcional as mulheres pobres e suas famílias.", como consta no pedido de habeas corpus coletivo concedido pelo STF.

A decisão foi tomada com maioria de 4 votos a 1. Votaram a favor os ministros Celso de Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli. Edson Fachin votou contra.

Lula é visto gesticulando durante um evento dedicado à educação em Brasília, 9 de outubro de 2017 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Fachin nega pedido de Lula para evitar prisão
Estima-se que 1 terço das mulheres presas n Brasil sejam mães de crianças pequenas ou gestantes. Com a decisão, milhares de mulheres serão beneficiadas. A segunda turma tem apenas homens, sendo que o STF tem 2 mulheres em sua composição, a presidente Carmen Lúcia e a ministra Rosa Weber.

Recentemente, uma série de escândalos envolvendo mulheres grávidas e mães sob cárcere privado vieram à tona, gerando estarrecimento na sociedade brasileira.

O caso que ganhou maior notoriedade e foi denunciado durante o Carnaval, foi o de Jéssica Monteiro, jovem de 24 anos que deu à luz dentro de uma cela de uma penitenciária no centro de São Paulo-SP. Ela foi presa grávida no dia 10 de fevereiro com 40g de maconha. No dia seguinte, ela foi levada a um hospital em trabalho de parto e logo após retornou à prisão com o bebê.

Após a denúncia e a polêmica tomar as redes sociais, um pedido de habeas corpus para a jovem foi aceito pelo juiz Carlos Bueno, da 10ª Câmara de Direito Criminal. Desde o sábado (17), a jovem cumpre prisão domiciliar.

O Brasil tem a terceira maior população carcerária do mundo, com 726 mil pessoas atrás das grades, segundo o Infopen, número que dobrou nos últimos 11 anos. Dentro desse grupo, as mulheres são minoria, 42 mil mulheres presas, porém, o encarceramento feminino cresce a taxas mais aceleradas que o masculino.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала