- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Governo reconhece não ter votos para a reforma da Previdência

© Rafael Neddermeyer / Fotos PúblicasCarteira de Trabalho e Previdência Social
Carteira de Trabalho e Previdência Social - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, reconheceu nesta segunda-feira (19) que a votação da reforma da Previdência está suspensa e que ela poderá ser discutida nas eleições deste ano.

Marun falou após o presidente do Senado Eunício Oliveira (PMDB-CE) afirmar que não pautaria a reforma porque a intervenção federal no Rio de Janeiro impede qualquer mudança na Constituição. 

Manifestação contra proposta de mudança na Previdência na Avenida Paulista, São Paulo - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
'Quero me aposentar': Brasil tem dia de protestos contra a reforma da Previdência
O Ministro da Secretaria de Governo reconheceu o que o presidente Michel Temer (PMDB) estava tentando evitar: o Palácio do Planalto não tem votos suficientes para aprovar a proposta. "Não temos os votos. Eu não poderia garantir que teríamos os votos até o fim de fevereiro".

Marun também afirmou que a "insegurança jurídica" criada pela intervenção no Rio de Janeiro dificulta a tramitação da reforma da previdência. O decreto de Temer para a intervenção impede que alterações na Constituição sejam aprovadas pelo Congresso. 

O ministro da Secretaria de Governo, entretanto, diz que a votação da reforma da Previdência poderá voltar caso a intervenção federal no Rio seja suspensa. Marun diz que caso o Congresso não vote o tema, a Previdência "vai para os palanques" da eleição. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала