China espera que EUA deixem de classificar as relações internacionais como confronto

© REUTERS / Hyungwon KangA bandeira da República Popular da China e as Estrelas e Listras dos Estados Unidos tremulam pela Avenida da Pensilvânia, perto do Capitólio dos EUA, durante a visita de Estado do presidente chinês, Hu Jintao em 18 de janeiro de 2011 (foto de arquivo).
A bandeira da República Popular da China e as Estrelas e Listras dos Estados Unidos tremulam pela Avenida da Pensilvânia, perto do Capitólio dos EUA, durante a visita de Estado do presidente chinês, Hu Jintao em 18 de janeiro de 2011 (foto de arquivo). - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A China espera que os EUA parem de classificar as relações entre as principais potências do ponto de vista do confronto, disse o porta-voz do ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang.

O destróier Hefei da classe 052D da Marinha chinesa chega a Baltiysk para os treinamentos da China e da Rússia Cooperação Naval 2017 - Sputnik Brasil
Qual é a chance de Rússia e China estarem desafiando EUA pelo 1º lugar no ringue militar?
"Esperamos que os EUA possam (…) parar de considerar as relações entre as grandes potências através do prisma de confronto e cooperar com a Rússia e a China, bem como com a comunidade internacional para garantir a paz e a estabilidade internacionais", afirmou Geng.

Ele acrescentou que "não há segurança absoluta para nenhum país do mundo" e enfatizou que "a segurança de um país não pode ser garantida em detrimento da segurança de outros Estados".

Mais cedo, o Diretor de Inteligência Nacional dos Estados Unidos, Dan Coats, disse que a Rússia e a China representam ameaça aos EUA, inclusive no campo da segurança cibernética.

Além disso, ele declarou que "tanto a Rússia como a China continuam a desenvolver armas anti-satélites (ASAT) como meio de reduzir a eficácia militar dos Estados Unidos e seus aliados".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала