Inteligência americana desvenda suposto preparo de ciberataque norte-coreano contra EUA

© AFP 2022 / Bryan R. SmithDan Coats, novo Diretor de Inteligência Nacional dos EUA no lobby da Trump Tower, em Nova York (arquivo)
Dan Coats, novo Diretor de Inteligência Nacional dos EUA no lobby da Trump Tower, em Nova York (arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
De acordo com um relatório dos serviços secretos estadunidenses, publicado nesta terça-feira (13), a Coreia do Norte estaria preparando operações no campo de cibersegurança para recolher dados de inteligência ou efetuar ataques contra os EUA e a Coreia do Sul.

Kim Jong-un, líder de Corea del Norte - Sputnik Brasil
Ex-oficial da CIA: Coreia do Norte está 'assustada' com possível ataque dos EUA
Além de Pyongyang, o documento indica como possíveis "ciberatacantes" Teerã e Moscou.

"Há uma oportunidade de que a Coreia do Norte, fortemente sancionada, use ciberoperações para arrecadar dinheiro, recolher dados de inteligência ou efetuar ataques contra a Coreia do Sul e os EUA", alertou Dan Coats, diretor da Inteligência Nacional dos EUA.

"A Rússia, o Irã e a Coreia do Norte estão testando os ciberataques mais agressivos, que representam uma ameaça cada vez maior para os EUA e seus aliados", disse Coats durante reunião anual do Comitê de Inteligência do Senado dos EUA sobre os desafios internacionais.

"As ciberoperações persistentes e disruptivas vão continuar sendo realizados contra os EUA e nossos aliados europeus, com o uso das eleições como um instrumento para minar democracia", adiantou. De acordo com o relatório, as armas antissatélite russas e chinesas poderiam atingir o nível de capacidade operacional nos próximos anos.

Logotipo da CIA - Sputnik Brasil
Diretor da CIA: administração Trump entende a necessidade de se contrapor à Rússia
Ao comentar o documento, Coats indicou que Washington espera que Moscou se torne mais encorajada e disruptiva ao efetuar ciberataques contra a Ucrânia no ano que vem.

O relatório finalmente lançou a luz sobre as declarações estadunidenses quanto à alegada violação russa do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, ou Tratado INF, ao desenvolver os mísseis de cruzeiro de baseamento terrestre.

Enquanto isso, as revelações também tocaram o assunto sírio, ao afirmar que as Unidades de Proteção Popular curdas poderiam estar procurando autonomia na Síria, mas "vão encontrar resistência por parte da Rússia e da Turquia".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала