Al-Qaeda segue forte enquanto o Daesh desmorona, aponta relatório da ONU

© East News / Pacific PressMembros da Al-Qaeda posam para foto com os rostos cobertos
Membros da Al-Qaeda posam para foto com os rostos cobertos - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A rede terrorista global da Al-Qaeda permanece "extraordinariamente resiliente", colocando mais uma ameaça em algumas regiões do que o Daesh, disseram os monitores de sanções da ONU em um relatório visto pela Agência AFP na quarta-feira.

O relatório enviado ao Conselho de Segurança da organização disse que a Al-Qaeda na Península Arábica (AQAP), com sede no Iêmen, serviu como um centro de comunicações para o grupo terrorista designado pela ONU como um todo.

Membros da Al-Qaeda posam para foto com os rostos cobertos - Sputnik Brasil
Al-Qaeda prega apoio aos palestinos contra 'desafio ao mundo muçulmano' imposto pelos EUA

"As organizações afiliadas da Al-Qaeda continuam a ser a principal ameaça terrorista em algumas regiões, como a Somália e o Iêmen, fato demonstrado por um fluxo contínuo de ataques e operações frustradas", afirmou o relatório.

Na África Ocidental e no Sul da Ásia, os grupos ligados à Al-Qaeda representam uma ameaça séria, pois as afiliadas ao Daesh "atualmente permanecem incapazes de alcançar uma posição dominante", afirmou.

Os Estados-membros da ONU, no entanto, veem o potencial de ligações entre os grupos Al-Qaeda e Daesh para se apoiar mutuamente, advertindo que em algumas regiões isso poderia ser uma nova ameaça, segundo o relatório.

O Daesh perdeu seu califado auto declarado na Síria e no Iraque no ano passado, mas a Al-Qaeda "permaneceu ressonantemente notável", disseram os monitores da ONU.

Na Síria, a Frente al-Nusra "continua sendo uma das afiliadas mais fortes e maiores da Al-Qaeda em todo o mundo," com seus militantes "usando ameaças, violência e incentivos materiais" para absorver grupos armados menores.

A Frente al-Nusrah comanda entre 7.000 e 11.000 soldados, incluindo vários milhares de estrangeiros, e tem sua principal base de poder na província síria de Idlib.

Na Líbia, o Daesh continua com a intenção de recuperar o ponto de apoio após a perda de Sirte e reforçou sua presença com militantes que retornam do Iraque e da Síria, segundo o relatório.

O treino do Daesh num campo militar em algum lugar entre o Afeganistão e Paquistão - Sputnik Brasil
Cerca de 7 mil terroristas do Daesh atuam no Afeganistão

Os combatentes de Boko Haram, que expandiu seu alcance do norte da Nigéria, estão mantendo pequenas células na Líbia, que poderiam então passar para outros países regionais.

"Os Estados-membros avaliaram que existe um potencial para a transferência de líderes do Daesh na Líbia para outras zonas de conflito na África Ocidental e na região do Sahel, incluindo o Mali", afirmou o relatório.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала