Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Ministro do Irã condena declaração de Trump sobre protestos no país

© AP Photo / Ebrahim NorooziIranian protesters chant slogans at a rally in Tehran, Iran, Saturday, Dec. 30, 2017
Iranian protesters chant slogans at a rally in Tehran, Iran, Saturday, Dec. 30, 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga no
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Bahram Qasemi, condenou nesta terça-feira (2) a reação positiva do presidente dos EUA, Donald Trump, aos protestos em curso no Irã.

No início do dia, Trump elogiou os cidadãos iranianos por enfrentrarem o que ele chamou de "regime brutal e corrupto".

"Ele [Trump] descreveu recentemente o povo iraniano como uma 'nação terrorista' e passou a provocar os sentimentos nacionais dos iranianos, tanto no país como em todo o mundo… É melhor ele tentar resolver os problemas internos dos EUA como os assassinatos diários nos Estados Unidos em confrontos armados e tiroteios, bem como milhões de pessoas sem-teto e com fome no país", disse Qasemi à agência de notícias IRNA.

Estudantes protestam na Universidade de Teerã - Sputnik Brasil
Posição dos EUA sobre o Irã quer desestabilizar a região, segundo autoridades da Síria
Também no início da terça-feira (2), o Aiatolá Ali Khamenei, o líder supremo iraniano, culpou "inimigos" do Irã pelos protestos sangrentos, ressaltando que "usaram os vários meios que possuem, incluindo dinheiro, armas, política e serviços de inteligência, para incomodar a república islâmica."

Desde quinta-feira (28), o Irã enfrenta os maiores protestos em quase uma década. As manifestações começaram em resposta a um aumento nos preços de combustível e alimentos no país, bem como contra o desemprego, a inflação e a poluição do ar. Pelo menos 20 pessoas foram mortas no conflito.

Trump escreveu várias publicações do Twitter sobre a agitação, alertando que os Estados Unidos estão assistindo aos protestos. O presidente iraniano, Hassan Rouhani, respondeu a Trump na segunda-feira (1), dizendo que o presidente dos EUA não tinha o direito de influenciar os protestos no Irã depois de ter chamado o povo iraniano de "terrorista".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала