'Vêm à luz' as consequências inesperadas do eclipse solar

CC0 / Pixabay / Eclipse solar (imagem referencial)
Eclipse solar (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Mesmo que não podemos os sentir, isso não significa não há impactos do eclipse solar que afeta consideravelmente o nosso planeta. Confira o que apareceu na nossa atmosfera durante dois minutos de total escuridão que foi causada pelo eclipse solar!

Imagem do Universo - Sputnik Brasil
Descubra a vida e os segredos do misterioso 'assassino' de exoplanetas (VÍDEO)
Um grupo de cientistas internacional composto por pesquisadores do Instituto Tecnológico de Massachusetts (EUA) e da Universidade de Tromso (Noruega), descobriram as consequências inesperadas do recente eclipse solar.

O eclipse solar de agosto de 2017 provocou uma flutuação na atmosfera do planeta. Na ionosfera apareceram ondas, segundo explica o estudo. Essa flutuação tem um caráter ligeiro e não representa ameaça qualquer para a atmosfera terrestre, no entanto, representa um valor científico considerável.

"Observamos fenômenos esperados, sendo que nunca antes houve uma ocasião para estudá-los", explica Shun-Rong Zhang, um dos autores do estudo.

Ao analisar os dados obtidos pelo satélite, os cientistas descobriram que, no momento exato do eclipse, a Terra deixou de receber tanto a luz do Sol como o seu calor. Ao mesmo tempo, a sombra da Lua não permaneceu estática e seguiu movendo-se. Assim, o contraste que apareceu entre as temperaturas na zona clara e na zona escura, causou o aparecimento de "ondas" na atmosfera.

Com o fim do eclipse, as ondas desapareceram.

A Lua coincidiu com o Sol em 21 de agosto, por isso a Terra experimentou o eclipse solar — dois minutos de escuridão total em pleno dia. O fenômeno foi perfeitamente observado em várias zonas dos EUA e também parcialmente na América Central, especialmente no México e na América Latina.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала