Estado-Maior russo: EUA não querem destruir o Daesh na Síria

© Sputnik / Grigory Sisoev / Abrir o banco de imagensChefe do Estado-Maior General russo, general Valery Gerasimov
Chefe do Estado-Maior General russo, general Valery Gerasimov - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A coalizão internacional liderada pelos EUA não deseja destruir o grupo terrorista Daesh, disse aos jornalistas o chefe do Estado-Maior da Rússia, general do exército Valery Gerasimov.

Fumaça se espalha durante confrontos entre as tropas iraquianas e Forças de Mobilização Popular contra o Daesh en Tal Afar, Iraque, agosto de 2017 - Sputnik Brasil
Disseminação da ideologia e ataque à Rússia: analistas preveem futuro do Daesh debilitado
"Me parece que a coalizão não tinha por objetivo, nem tem, a destruição total do Daesh", disse Gerasimov.

Segundo ele, "a quantidade de ataques da coalizão internacional durante esse tempo todo foi de 8 a 10 por dia".

"A nossa aviação, com um efetivo bastante reduzido, realizava entre 60 a 70 ataques diários contra os terroristas, contra a sua infraestrutura e suas bases. Além disso, nos períodos de maior tensão, realizávamos entre 120 e 140 ataques por dia", explicou o chefe do Estado-Maior.

Ele destacou que a base militar dos EUA na Síria, em al-Tanf, "conforme a inteligência", está abrigando combatentes terroristas.

"Esses combatentes são do Daesh, mas depois do trabalho realizado, eles "recebem nova pintura" e adotam novos nomes, por exemplo como 'Novo Exército Sírio'. O seu objetivo é desestabilizar a situação", concluiu Gerasimov.

Mais cedo, o presidente dos EUA, Donald Trump, declarou que a coalizão internacional liberou "praticamente" 100% dos territórios da Síria e do Iraque do Daesh.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала