Líder do Hamas chama para nova Intifada após decisão de Trump sobre Jerusalém

© REUTERS / Mohammed SalemLíder do Hamas, Ismail Haniyeh, durante discurso sobre decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital de Israel, na Faixa de Gaza
Líder do Hamas, Ismail Haniyeh, durante discurso sobre decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital de Israel, na Faixa de Gaza - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O líder do movimento palestino Hamas apelou na quinta-feira (7) para realização de uma nova Intifada na sequência da decisão do presidente-norte-americano de reconhecer Jerusalém como capital israelense.

Premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, durante visita a Washington realizou coletiva de imprensa conjunta com presidente Donald Trump, 15 de fevereiro de 2017 - Sputnik Brasil
Decisão de Trump destrói a solução de dois Estados e ameaça a paz, dizem palestinos
A declaração surgiu depois de Donald Trump ter tomado a decisão de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e de começar a se preparar para transferência da embaixada norte-americana de Tel Aviv.

"Devemos apelar e fazer de tudo para dar início a uma Intifada diante dos inimigos sionistas", disse Ismail Haniyeh, líder do Hamas durante discurso na Faixa de Gaza.

No entanto, o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, está confiante que "muitos" países vão reconhecer Jerusalém como capital israelense.

A cidade de Jerusalém é declarada por Israel e Palestina como suas capitais, contudo, a comunidade internacional não reconhece nenhumas destas reclamações e todas as embaixadas estrangeiras estão situadas em Tel Aviv.

Em 1995, o Congresso norte-americano adotou a lei sobre mudança da embaixada de Tel Aviv a Jerusalém, mesmo assim, presidentes vinham adiando a decisão por razões de segurança.

António Guterres, secretário-geral da ONU, declarou ser contra a decisão de Trump, porque Jerusalém "é uma questão de status final que deve ser resolvida através de negociações diretas por ambas as partes".

Suas preocupações encontraram o apoio de muitos outros líderes. O Qatar, por exemplo, declarou que proclamar Jerusalém como capital israelense é igual à sentença de morte ao processo de paz na região.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала