Líder supremo do Irã critica plano dos EUA de transferir embaixada para Jerusalém

© AP Photo / Sem credencialLíder supremo iraniano, Ali Khamenei, discursa em reunião em Teerã, Irã, outubro de 2017
Líder supremo iraniano, Ali Khamenei, discursa em reunião em Teerã, Irã, outubro de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O líder supremo iraniano, Ali Khamenei, criticou a decisão de Washington de relocar a embaixada a Jerusalém, chamando-a de incompetente e fracassada.

O presidente dos EUA, Donald Trump, toma um copo de vinho durante sua visita oficial à Coreia do Sul, em 7 de novembro de 2017 - Sputnik Brasil
Reconhecimento de Trump de Jerusalém como capital de Israel prejudica paz, diz Palestina
O líder supremo iraniano criticou a decisão de Washington de relocar a embaixada a Jerusalém, referindo-se ao passo norte-americano como incompetente e fracassado, comunicou a agência Reuters.

Mais cedo na quarta-feira (6), a Casa Branca declarou que o presidente norte-americano, Donald Trump, ordenará que o Departamento de Estado inicie o processo de transferência da embaixada norte-americana em Israel de Tel Aviv a Jerusalém.

"Eles declaram que querem anunciar Quds como capital da Palestina ocupada, é por causa de sua incompetência e fracasso", disse Khamenei, usando a palavra árabe para denominar Jerusalém.

Donald Trump deve vir a anunciar nesta quarta-feira (6) que os EUA reconhecem Jerusalém como capital de Israel, transferindo sua embaixada para a cidade, o que deveria ter sido feito há muito tempo, mas foi adiado para evitar complicações entre países.

Na terça-feira (5), Donald Trump falou separadamente por telefone com líderes de países do Oriente Médio – Israel, Palestina, Jordânia, Egito e Arábia Saudita – sobre a possibilidade de transferência da embaixada.

O rei da Arábia Saudita, Salman bin Abdulaziz Al Saud, chamou a atenção de Trump reforçando que qualquer decisão dos EUA quanto ao status de Jerusalém antes da resolução completa da crise entre Israel e Palestina "danificaria as negociações de paz e aumentaria tensões na região".

"Esse passo perigoso atingirá sentimentos de muçulmanos de todo o mundo, que estimam a importância de Jerusalém e da Mesquita Al-Aqsa", disse ele.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала