Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

'É urgente acabar com fortíssima presença militar dos EUA na América Latina'

Nos siga no
Os EUA têm mais de 35 bases militares na América Latina, algo que representa uma grande ameaça para a região, sobretudo no contexto em que aumenta a pressão norte-americana nos países que não querem seguir as ordens de Washington.

Casa Branca, em Washington, nos EUA (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Como EUA interferem nos países latino-americanos por vias diplomáticas
De acordo com o analista argentino da Universidade de Defesa Nacional, Sergio Gabriel Eissa, que falou com à Sputnik Mundo, hoje é diferente dos tempos da Guerra Fria, agora a presença militar dos EUA na América Latina é menos evidente, mas isso não significa que haja menos perigo para a segurança nacional.

"[A região] deve estar mais em alerta", sustentou Sergio Gabriel, que se mostrou preocupado com a crescente atividade da 4ª Frota do Comando Sul da Marinha dos EUA, que patrulha a costa caribenha e latino-americana, algo que é observado com muita preocupação na Venezuela, inimigo número um para Washington na região.

Sergio Gabriel Eissa se mostrou convencido de que a América Latina precisa diversificar as suas importações de armas, sublinhando que os EUA são parceiros principais nesta questão. A Argentina, por exemplo, possui muitos acordos bilaterais de cooperação militar com os EUA, cujo número atinge 19, a maioria dos quais é da época da Guerra Fria.

Neste contexto, o analista se mostra a favor de uma maior cooperação militar com tais países como a China, Rússia e Índia, cuja presença militar na região, em comparação com os EUA é mínima.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала