Coreia do Norte: podemos produzir os lança-mísseis que quisermos

© REUTERS / KCNALíder norte-coreano Kim Jong-un perto do novo míssil balístico intercontinental Hwasong-15
Líder norte-coreano Kim Jong-un perto do novo míssil balístico intercontinental Hwasong-15 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Coreia do Norte produziu o lançador do míssil Hwasong-15, disparado em 29 de novembro, de forma independente. Para além disso, no desenvolvimento do míssil foram usados somente os recursos e tecnologias do país, sem qualquer ajuda externa, informa a agência de notícias norte-coreana.

Donald Trump, presidente dos EUA e Xi Jinping, seu homólogo chinês falam depois do encontro realizado em 7 de abril de 2017 em Mar-a-Lago - Sputnik Brasil
Trump pede que Xi Jinping use 'todos os recursos possíveis' contra Coreia do Norte
"O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, expressou a sua satisfação pelo fato de os lança-mísseis poderem ser produzidos nos tempos e quantidades desejados pelo país" e declarou que "a indústria militar deu um grande passo em frente para garantir a produção de todos os elementos complementares", diz-se na mensagem.

O míssil balístico intercontinental lançado por Pyongyang é capaz de carregar uma ogiva nuclear pesada de grandes dimensões e pode alcançar o território dos Estados Unidos.

Durante o teste, também foi confirmado que todos os sistemas correspondem às exigências do desenho e são completamente seguros em condições de combate. Em particular, destaca-se a grande precisão no alcance do alvo.

O Pentágono reconheceu que o míssil em questão atingiu uma altitude de 4.475 quilômetros, a maior alcançada pela Coreia do Norte, superando dez vezes a altitude em que se encontra a Estação Espacial Internacional.

Depois do lançamento, a embaixadora dos EUA na ONU, Nikky Haley, apelou a todos os países para suspenderem quaisquer relações e todos os acordos existentes com a Coreia do Norte.

Por sua vez, o representante permanente da Rússia na ONU, Vasily Nebezya, chamou os EUA e a Coreia do Norte para que se abstenham de realizar exercícios de grande escala, o que, para ele, "agrava a situação, que já é explosiva" na península coreana.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала