Mesmo fora da Espanha, líder catalão deposto afirma que irá participar de eleições

Nos siga noTelegram
O ex-presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, afirmou que pretende participar das eleições que a região autônoma irá realizar em dezembro. Puigdemont está em Bruxelas, Bélgica, após as autoridades do Governo espanhol pedirem sua prisão e poderá ser deportado.

Protesto pela independência da Catalunha, em Barcelona, dia 11 de novembro de 2017 - Sputnik Brasil
750 mil vão às ruas da Catalunha pedir liberdade de políticos pró-independência presos
Depois da Catalunha declarar a independência da região, Madri dissolveu o Parlamento local por meio de um recurso constitucional e convocou novas eleições com a esperança de que partidos contrários à secessão ganhem.

14 líderes políticos favoráveis à independência foram acusados de sedição e podem enfrentar penas de 30 anos de prisão. Nove políticos deste grupo que ficaram na Espanha estão presos no momento e aguardam uma sentença definitiva.

"Estou ansioso para fazer campanha, mas com limitações", disse Puigdemont à emissora de televisão El Punt-Avui. "Não tenho o direito de sair da Bélgica e, obviamente, não vou".

Ele afirma ter permissão de seu partido, o Partido Democrático Europeu Catalão (PDeCAT), para preparar a lista de políticos que irão participar do pleito.

As pesquisas indicam uma disputa apertada entre os partidos a favor da secessão e aqueles que querem preservar a atual unidade territorial da Espanha. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала