Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Israel se prepara para a guerra na Palestina: 'Nossa resposta será dura'

© AFP 2021 / JACK GUEZBenjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel - Sputnik Brasil
Nos siga no
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, responsabilizará o Hamas em caso de um ataque vindo da Faixa de Gaza.

Bandeiras de Israel e da Palestina - Sputnik Brasil
Ex-secretário dos EUA condena Israel, elogia palestinos e diz que violência pode voltar
Neste domingo, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, advertiu que seu país responderá "de forma muito dura" a qualquer ataque, não importa de onde venha, informou o jornal The Times of Israel.

Estas declarações podem estar relacionadas às ameaças do Movimento da Jihad Islâmica na Palestina feitas no dia 30 de outubro. Tel Aviv destruiu um túnel que essa organização teria construído entre a Faixa de Gaza e o território israelense, em um ataque aéreo, durante o qual 12 de seus membros morreram.

Durante uma reunião de seu gabinete de ministros, Netanyahu declarou que considerará "o Hamas responsável por cada ataque" que venha da Faixa de Gaza, ou que seja planejado no local.

Soldados israelenses monitoram a fronteira Israel–Síria (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Israel vai continuar atuando na Síria para proteger sua segurança
Israel recorreu à essa retórica oficial em um momento em que as duas principais organizações palestinas, Fatah e Hamas, estão tentando celebrar um acordo que garanta a unidade política da Palestina a partir de 1 de dezembro.

Um dia antes, o ministro da Defesa israelense encarregado do relacionamento com os palestinos, o general Yoav Mordechai, transmitiu um vídeo no YouTube, no qual advertiu os líderes do movimento Jihad Islâmica Palestina que o seu país ofereceria "uma resposta dura e determinada" a qualquer ataque dessa organização.

O grupo, por outro lado, rejeitou a mensagem de Mordechai, que considerou como "uma declaração de guerra".

Por sua vez, o coordenador especial da ONU para o processo de paz no Oriente Médio, Nickolay Mladenov, expressou através do Twitter sua preocupação com a situação, comentando que "as ações e asserções imprudentes dos militantes em Gaza criam o risco de uma perigosa escalação".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала