Acordo sobre Síria pode ser anunciado após reunião de Trump e Putin nesta sexta-feira

Nos siga noTelegram
Washington e Moscou estão na iminência de celebrar um acordo sobre os futuros passos na Síria, enquanto Daesh vai sendo derrotado no país devastado pela guerra.

Vladimir Putin, presidente da Rússia, ao telefone - Sputnik Brasil
Putin e Trump acordam data definitiva do seu encontro, que pode se tornar histórico
Um acordo para a Síria pode ser anunciado ainda nesta sexta-feira, após a reunião do presidente dos EUA, Donald Trump, e do presidente russo, Vladimir Putin, no Vietnã, informou AP.

Segundo os relatórios divulgados, o acordo contemplaria uma redução substancial de recursos militares dos EUA e da Rússia na Síria e na região, diminuindo o nível geral de violência entre vários grupos militantes no país e restaurando as conversações de paz nas Nações Unidas.

"Os russos foram muito profissionais, cordiais e disciplinados", disse o tenente-general Stephen Townsend, do comando da coalizão liderada pelos EUA contra o Daesh no Iraque, em agosto, quando perguntado sobre a redução de conflitos entre as duas potências mundiais.

"Muitas vezes a contribuição russa para o combate contra o Daesh não é reconhecido", disse Max Abrahms, do Conselho de Relações Exteriores dos EUA à Sputnik News em julho. A mídia dos EUA freqüentemente deixa de fora o papel estabilizador da Rússia quando se trata de informar sobre a Síria.

Uma bandeira síria improvisada em um bairro da zona leste de Aleppo libertado pelo exército nacional, em 13 de dezembro de 2016 - Sputnik Brasil
Representantes de Rússia e EUA discutem cooperação para resolver crise síria
Em julho, os EUA, a Rússia e a Jordânia negociaram um acordo para um cessar-fogo parcial no sul da Síria com base em "zonas de desescalada" para limitar a violência no país devastado pela guerra. O acordo surgiu na sequência da primeira reunião de Trump e Putin durant a cúpula do G20 em Hamburgo, na Alemanha.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, observou que a conquista diplomática foi a "melhor confirmação de que, quando lidamos com questões concretas, não especulações, podemos alcançar resultados", enquanto o seu homólogo, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, observou que o cessar-fogo era a "primeira indicação de que os EUA e a Rússia podem trabalhar juntos na Síria ".

O novo acordo, independentemente do seu teor, deverá se fundamentar nos sucessos do cessar-fogo inicial.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала