Igualando-se aos EUA: China construirá 5ª estação antártica até 2022

© AFP 2022 / STRHomem tira fotografia do quebra-gelo chinês Xuelong (Dragão de Neve)
Homem tira fotografia do quebra-gelo chinês Xuelong (Dragão de Neve) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A nova construção chinesa se trata da quinta base no Polo Sul, que igualará o gigante asiático aos EUA no que diz respeito à presença no continente.

Lançamento espacial na China (imagem ilustrativa) - Sputnik Brasil
Avião rumo à órbita terrestre: China planeja dominar espaço em breve
Para aumentar sua esfera no Polo Sul, Pequim direcionou seu quebra-gelo Xuelong (Dragão de neve) para a Antártida com materiais de construção, que serão usados para erigir sua quinta estação de investigação científica no continente.

Na quarta-feira (8), o navio saiu do porto de Shanghai. Dentro de 18 dias deve chegar à Nova Zelândia para reabastecimento e, em seguida, partirá para a Ilha Inexpressível, no mar de Ross na baía Terra Nova. O Xuelong está transportando 550 toneladas de material para o local onde sua tripulação de 334 pessoas iniciará a construir a nova base.

"Desta vez, construiremos uma base temporal de 206 metros quadrados, que incluirá habitações para trabalhadores e um cais para grandes máquinas de engenheira para facilitar futuros trabalhos de construção", explicou um dos líderes da expedição, Zhang Tijun, à Asian News Network (ANN).

Espera-se que a construção da estação na zona com grande biodiversidade — algo que a faz especialmente valiosa — seja concluída até 2022.

Base de pesquisas russa Vostok na Antártida nas proximidades do Polo Sul - Sputnik Brasil
China desbrava Antártida mas a ajuda dos russos é indispensável
Além do mais, o codiretor do Instituto de Investigação Polar da China, Sun Bo, assegura que a construção corresponde a todos os critérios internacionais de proteção ambiental.

As cinco estações estadunidenses, dentre elas — três permanentes, atualmente contam com equipamento antigo, sendo que o programa antártico norte-americano enfrenta restrições financeiras. China, por sua vez, segue com suas ambições de ser a potência "polar", investindo dinheiro na construção de estações, aviões e navios capazes de operar nas condições severas da região.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала