Ministra britânica renuncia após escândalo de reuniões secretas com israelenses

© AFP 2022 / Geoff RobinsPriti Patel em setembro de 2016
Priti Patel em setembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ministra do Desenvolvimento Internacional do Reino Unido, Priti Patel, renunciou ao seu cargo após a imprensa divulgar que ela teve 12 reuniões não registradas com representantes de Israel.

Um desses encontros foi com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o lobista Stuart Polak.

US President Donald Trump speaks during a press conference with British Prime Minister Theresa May at the White House January 27, 2017 in Washington, DC. - Sputnik Brasil
Contando os dias para o Brexit: EUA já falam em acordo de livre comércio com Reino Unido
Priti Patel, famosa por sua defesa da saída do Reino Unido da União Europeia, apresentou versões contraditórias para as reuniões após elas serem divulgadas. No início, ela disse que o chanceler britânico, Boris Johnson, tinha conhecimento delas. Depois, ela afirmou que os encontros "não aconteceram de acordo com os procedimentos usuais".

A agenda secreta de Priti causou mais uma crise no gabinete da primeira-ministra Theresa May. Há uma semana, o ministro da Defesa do Reino Unido, Michael Fallon, abandonou o cargo após ser envolvido em denúncias de assédio sexual. 

A agora ex-ministra do Desenvolvimento Internacional cumpria agenda oficial na África quando foi convocada por May para voltar a Londres. Antes de ser dispensada, contudo, ela renunciou.

"Enquanto minhas ações foram feitas com as melhores intenções, minhas ações também ficaram abaixo dos padrões de transparência e abertura que eu promovi e defendi", afirmou Priti em sua carta de renúncia.

Theresa May aceitou a renúncia e afirmou que a comunicação com Israel deve ser feita de maneira formal e por meio dos canais adequados, segundo o The Guardian.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала