Asiáticos contam o que esperam da visita de Donald Trump

© AP Photo / Evan VucciPresidente Trump fala com jornalistas na Casa Branca
Presidente Trump fala com jornalistas na Casa Branca - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, inicia neste sábado (5) sua primeira visita como chefe de Estado na Ásia. Em 12 dias, ele visitará cinco países: Japão, Coreia do Sul, China, Vietnã e Filipinas.

O programa nuclear e balístico da Coreia do Norte deve dominar as discussões, mas há expectativa de que o comércio internacional também seja abordado no tour internacional de Trump.

A agência de notícias Associated Press entrevistou cidadãos dos países em que Trump estará para saber de suas expectativas.

Japão

Yoh Kawakami, funcionário de uma empresa de soluções de gerenciamento de informações:

"Eu me pergunto se as coisas vão ficar bem, no que o mundo vai se transformar? Eu me pergunto sobre a resposta dele (Trump) para a Coreia do Norte e outras coisas. Há coisas que me assustam. Ele está se tornando amigável com o primeiro-ministro [Shinzo] Abe e não sei se isso é certo ou não."

Presidente dos EUA, Donald Trump - Sputnik Brasil
Trump acusa Irã de estar por trás do lançamento de míssil contra Riad a partir do Iêmen
Yumu Katsuyama, empregado em uma ONG de assistência médica infantil:

"Honestamente, quando ele se tornou presidente, questionei sua capacidade. Mas meus amigos americanos disseram que após a eleição de Trump, suas vidas e a economia melhoraram. Pessoalmente, comecei a pensar que pode ser uma coisa boa que ele se tornou presidente".

Coreia do Sul

Ock Hyun-woong, trabalhador fabril.

"O presidente Trump é conhecido por ser um homem de controle coercivo que faz declarações controversas que chamam a atenção da mídia estrangeira. Embora eu não se oponha à visita do presidente Trump à Coreia do Sul, espero que ele possa trabalhar bem com questões importantes, como a economia".

China

Ding Chenling, investidor de tecnologia com mais de 700 mil seguidores na popular rede social chinesa Weibo.

"Bem, talvez o nosso sistema ainda não seja perfeito, mas é como a relação de um professor e um aluno. Não queremos ser ensinados pelo professor. Queremos fazer nosso próprio caminho. Queremos crescer sozinhos por nós mesmos. Então, eu acho que essa é a razão pela qual os chineses gostam de Trump, ele descarta o politicamente correto. Ele diz: 'Oh, sim, é bom, a América pode fazer negócios, queremos fazer negócios, queremos ganhar dinheiro juntos'."

Vietnã

Bach Ngoc Lien, especialista em desenvolvimento:

"Donald Trump é um personagem polêmico. Muitas vezes ele tem comentários negativos sobre imigrantes, faz políticas desfavoráveis ​​sobre mudança climática, áreas em que os EUA costumavam ser o líder e desempenhava um papel importante a nível internacional. Direitos humanos, direitos das mulheres são valores que os EUA costumavam sustentar, mas acho que esses valores estão desaparecendo sob a presidência de Trump".

Filipinas

Jeanne Vivar, estudante:

"Não gosto das políticas conservadoras de Trump. Elas, obviamente, afetaram os filipinos trabalhando na América. Ironicamente, há muitas pessoas a favor de Donald Trump".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала